domingo, 27 de outubro de 2013

Vincent Price Forever!


Há 20 anos, a 25 de outubro de 1993, as artes cênicas perdiam Vincent Price. Sua voz marcante, porte altivo, e principalmente, seu carisma, legaram uma legião de fãs e amantes do cinema de Horror em todo o mundo. Um homem culto e estilista que se tornou um mito da Sétima Arte, cujo legado jamais será esquecido. Ele participou de trabalhos ecléticos, mas foi no gênero TERROR que ele se consagrou. Salve VINCENT PRICE!



Vincent Leonard Price Jr  nasceu a 27 de maio de 1911, em St. Louis, Missouri , o mais jovem dos quatro filhos do Sr. Vincent Leonard Price, presidente da Companhia Nacional de Açúcar, e sua esposa, Marguerite Cobb Wilcox. Seu avô, Vincent Clarence Price, inventou o "cozimento em pó do Dr. Price ", o primeiro creme de tártaro de fermento em pó,  e garantiu a fortuna da família.




Pricer estudou na St. Louis Country Day School . Ele se formou em história da arte em Yale , graduando-se em 1933. Depois de ensinar por um ano, ele entrou na Universidade de Londres , com a intenção de estudar para um mestrado em Belas Artes. Em vez disso, ele foi atraído para o teatro, e sua primeira aparição no palco profissionalmente foi em 1934, mas se solidou de vez em 1935, em Londres, se apresentando com Orson Welles no Mercury Theatre 's. Em 1936, Price apareceu como o príncipe Albert Victor na produção americana de Laurence Housman, Victoria Regina , estrelado por Helen Hayes no papel-título de Rainha Victoria .




Apesar de sua associação duradoura com o gênero do suspense e horror, Price começou como um ator atuando em outros estilos. Ele fez sua estreia no cinema em 1938 com Serviço de Luxo e estabeleceu-se no filme Laura (1944), ao lado de Gene Tierney (1921-1991) , dirigido por Otto Preminger (1905-1986) . Ele também interpretou Joseph Smith no filme Brigham Young (1940) e William Gibbs McAdoo em Wilson (1944), bem como um padre pretensioso em As Chaves do Reino (1944).




Primeiro empreendimento de Price no gênero horror foi em 1939, com a Torre de Londres, estrelado por Boris Karloff (1887-1969) . No ano seguinte, ele interpretou o personagem-título no filme A Volta do Homem Invisível (papel que reprisou em  cameo vocal no final de 1948, com a paródia Abbott e Costello e Costello Encontram Frankenstein ).




Em 1946, Price se reuniu com Gene Tierney novamente em mais dois filmes notáveis, Dragonwyck e Amar foi minha Ruína . Havia também muitos papéis de vilão em  thrillers noir como The Web (1947), The Long Night (1947), Rogues 'Regiment (1948), e Lábios que Escravizam (1949), com Robert Taylor , Ava Gardner, e Charles Laughton . Primeiro papel de protagonista de Price era como o vigarista James Addison Reavis no western de 1950 O Barão do Arizona . Ele também fez uma volta de comédia como o magnata Burnbridge Waters, co-estrelando com Ronald Colman (1891-1958) em Champagne for Caesar , um de seus papéis favoritos. Ele era ativo também no rádio, retratando o combatente do crime Simon Templar em O Santo , que decorreu 1943-1951, personagem levado ao cinema e que já foi retratado por George Sanders, e mais recente por Val Kilmer no cinema, e que também originou um seriado de TV na década de 1960, com Roger Moore.



Em 1948, Vincent Price interpretou o Ministro Richelieu na obra prima Capa & Espada Os Três Mosqueteiros, mais uma das inúmeras versões do célebre romance de Alexandre Dumas (1802-1870), desta vez dirigida por George Sidney (1916-2002), e estrelado por Gene Kelly como D'Artagnan, praticamente uma versão quase musical. Historicamente e de acordo com o próprio livro de Dumas, Richelieu era Ministro e Cardeal da Igreja Católica, e na versão de Sidney os roteiristas eliminaram definitivamente esta parte, onde vemos o Richelieu de Price apenas como um político astuto e ganancioso (e numa brilhante atuação do ator), capaz de tudo para dominar o Estado, e sem ligações com a Igreja. Com isso, os roteiristas e produtores deste espetáculo (considerada uma das melhores versões cinematográficas do romance) evitariam atritos com a Instituição.





Na década de 1950, Price foi assumindo o gênero de horror, atuando como o principal no clássico Museu de Cera, em 1953, o primeiro filme em 3-D que pousou entre os dez de melhor bilheteria daquele ano. Seus próximos papéis foram The Mad Magician (1954), o filme de terror A Mosca (1958) e sua sequência O Retorno da Mosca (1959). Price estrelou A Casa dos Maus Espíritos (1959) como o excêntrico milionário Fredrick Loren. Ele interpretou o Dr. Warren Chapin, em Força Diabólica, de 1959, thriller de horror produzido e dirigido por William Castle (1914-1977) .



Entre este meio tempo, também diversificou de estilo, chegando a atuar inclusive na superprodução bíblica de Cecil B. DeMille (1881-1959), Os Dez Mandamentos, interpretando Baka, o Mestre de Obras morto por Moisés (Charlton Heston) para defender seu amigo Josué (John Derek).

Outros trabalhos neste interim fora do estilo horror, de destaque, foram:



Seu Tipo de Mulher (His Kind of Woman) – de 1951, tem Vincent Price como um astro do cinema, ao estilo Errol Flynn, que ajuda o agente interpretado por Robert Mitchum a desbaratar uma quadrilha comandada por um Gangster interpretado por Raymond Burr, que fora deportado para os EUA e que monta um plano, se envolvendo numa trapaça em um resort mexicano. Price brilha no papel de um ator canastrão, numa atuação bem humorada e divertida.

O Caminho do Pecado (The Las Vegas Story) – de 1952. A visita da cantora Linda Rollins (Jane Russel, 1921-2011) e seu rico e sombrio marido Lloyd Rollins (Vincent Price) a Las Vegas resulta em assassinato, e o policial escalado para o caso ( Victor Mature), que é uma velha paixão de Linda.



Tenho Sangue em Minhas Mãos (ou Missão Perigosa-Dangerous Mission) – 1954. Testemunha de um assassinato, a jovem Louise Graham (Piper Laurie) foge para Montana, onde ela espera conseguir um trabalho na loja de presentes da Glacier National Park, em realidade, um hotel cujo o atrativo são os turistas das mais variadas personalidades, entre eles Matt Hallett (Victor Mature), um ex-fuzileiro, e Paul Adams (Vincent Price), fotógrafo amador, ambos muito interessados ​​em Louise e ambos competindo por sua atenção. Entretanto Louise nem faz ideia que um deles é o assassino contratado para matá-la, para impedir que ela venha a depor, e o outro é um policial que trabalha para um escritório de Nova York enviado para protegê-la.  Aventura criminal e detetivesca da RKO dirigida por Louis King (1898–1962), que tem como destaque a briga de socos entre Mature e Price em cima de uma montanha de neve.




Na década de 1960, Vincent Price teve uma série de sucessos de baixo orçamento com Roger Corman  e para a empresa American International Pictures (AIP), se iniciando com O Solar Maldito (1960), que rendeu mais de 2 milhões em bilheterias só nos Estados Unidos, e levou aos seguintes adaptações das obras de Edgar Allan Poe adaptações (1809-1849),  como O Poço e o Pêndulo (1961), Muralhas do Pavor (1962), O Castelo Assombrado (1963), O Corvo (1963), O Túmulo Sinistro (1964),  A Orgia da Morte (1965). Estrelou em 1962, Robur, o Conquistador, baseado em livro de Julio Verne.


Estrelou também  Mortos que Matam (1964), a primeira adaptação do romance I Am a Legend, de Richard Matheson (1926-2013), que teria uma outra versão para o cinema em 1971, A Última Esperança da Terra, estrelada por Charlton Heston.




Price muitas vezes falava de sua satisfação em interpretar o “Cabeça de Ovo” no seriado televisivo Batman. Um dos membros do cast, Yvonne Craig, que interpretava Batgril na última temporada, sempre dizia que Price era seu vilão favorito. Vincent, que também havia participado da segunda temporada fazendo o mesmo papel, certa vez sugeriu a Adam West e Burt Ward (respectivamente Batman & Robin) que jogassem tantos ovos nele quanto pudessem, numa sequencia de luta. E quando pediu para parar, Price disse: “Com uma Artilharia Completa? Isto não é por acaso”. E a equipe inteira começou a rir. Price tinha grande senso de humor. O ator fez participações em outras séries de TV, como Paladino do Oeste, Agente 86, Os Agentes da Uncle, Daniel Boone , e Viagem ao fundo do Mar.



De 1962 a 1971, a loja Sears Roebuck ofereceu o Vincent Price Collection de belas artes, vendendo cerca de 50 mil peças de arte que faziam parte da coleção particular do ator para o público. Price selecionou e encomendou obras para a coleção, que incluíam Rembrandt, Pablo Picasso, e Salvador Dalí .





Durante o início da década de 1970, Preço produziu e estrelou o  BBC Radio horror 's e a série de mistério The Price of Fear . O ator aceitou uma parte cameo em programa de televisão das crianças canadenses. Os anos de 1970 foram produtivos para o veterano astro do horror, pois ele apareceu em O Abominável Dr. Phibes (1971), a sua sequência A Câmara de Horrores do Abominável Dr. Phibes (1972), e As Sete Máscaras da Morte (1973), em que ele interpretava um ator decadente que mata em série seus críticos. Nesse mesmo ano, Vincent Price apareceu como ele mesmo em Goes to Hollywood , um filme escrito por Jim Backus (1913-1989, a voz original do Mr Magoo nos desenhos animados). Price ainda registrou  em gravações de áudio, lançados em LP, leituras dramáticas dos contos e poemas de Edgar Allan Poe, que foram recolhidos juntamente com leituras de Basil Rathbone (1892-1967), que já era falecido.



Price reduziu consideravelmente seu trabalho no cinema a partir de 1975, já que o cinema de horror havia sofrido uma queda, e aumentou a sua narrativa e trabalho de voz em gravações de long-plays. Price narrou o primeiro álbum solo de Alice Cooper, Welcome to My Nightmare , de 1975, e ele também apareceu num especial de TV  com Alice Cooper, The Nightmare, também do mesmo ano. Em outubro de 1976, Price apareceu como convidado especial em um episódio de The Muppet Show .


No verão de 1977, ele começou a atuar como Oscar Wilde em uma peça teatral,  Delícias & Diversões, escrito por John Gay e dirigido por Joe Hardy. A peça é fixada em um teatro de Paris, numa noite, cerca de um ano antes da morte de Wilde. A turnê original da peça foi um sucesso em cada cidade que desempenhou, exceto em Nova York.


No verão de 1979, Price desempenhou novamente o papel de Wilde no Tabor Opera House , em Leadville, Colorado , no mesmo palco a partir do qual Wilde tinha falado com os mineiros sobre a arte, cerca de 96 anos antes. Vincent acabaria por executar a peça em todo o mundo. Em sua biografia, sua filha, Victoria Price, afirmou que vários membros da família de seu pai e amigos, achavam que esta foi a sua melhor performance no teatro. Na primavera de 1979, Price estrelou ao lado de sua esposa, Coral Browne, no curta série televisiva da CBS  Time Express .


VINCENT PRICE e o REI DO POP, em 1983
Em 1982, Price forneceu sua maravilhosa e invejante voz como narrador em Vincent, curta de Tim Burton com seis minutos de projeção, sobre um garoto que pisca da realidade em uma fantasia onde ele é Vincent Price. Nesse mesmo ano, Price realizou um monólogo sinistro na faixa-título do LP  Michael Jackson 's Suspense álbum- Trilher.



Em 1983, Price interpretou um sinistro homem na paródia de filmes de terror britânico Banho de Sangue na Casa da Morte , estrelado por Kenny Everett , e ele também apareceu no filme A Mansão da Meia Noite , que se associaram a ele Christopher Lee , Peter Cushing (1913-1994), e John Carradine (1906-1988), também considerados os Mestres do cinema de Horror . Embora Price havia trabalhado com cada um destes atores, pelo menos uma vez em décadas anteriores, esta foi a primeira vez que todos se uniram. Um de seus últimos papéis principais, e um dos seus favoritos, era como a voz do Professor Ratigan na produção de Walt Disney  O Ratinho Detetive, em 1986.

De 1981 a 1989, Price sediou a PBS série de televisão mistério! Em 1985, ele forneceu seu talento vocal na série de Hanna-Barbera Os 13 Fantasmas de Scooby-Doo, como o misterioso Vincent Van Ghoul, que ajudou Scooby-Doo, e sua turma em recapturar 13 demônios.




Em 1987, ele estrelou ao lado de Bette Davis (1908-1989) , Lillian Gish (1893-1993) , e Ann Sothern (1909-2001) em As Baleias de agosto , a história de duas irmãs que vivem em Maine para passar o resto de seus dias. A atuação de Price em As Baleias de agosto rendeu elogios, e uma indicação ao prêmio Espírito Independente de Melhor Ator Coadjuvante. Em 1989, Price foi introduzido no St. Louis Walk of Fame (Calçada da fama de Saint Louis, sua cidade natal). Seu último trabalho no cinema foi significativo como o inventor em Edward Mãos de Tesoura, em 1990, de Tim Burton, com Johnny Depp.



Um contador de histórias espirituoso, Price era convidado frequente no The Tonight Show, do famoso apresentador americano Johnny Carson (1925-2005) , onde ele uma vez demonstrou como caçar um peixe em uma máquina de lavar louça. Price era um cozinheiro gourmet  e colecionador de arte. Ele também era autor de vários livros de receitas e organizou um programa de TV de culinária, Cooking Pricewise.




Vincent Price foi casado três vezes e era pai de um filho, Vincent Barrett Price , com sua primeira esposa, ex-atriz Edith Barrett (1907-1977), quatro anos mais velha que o ator . Price e sua segunda esposa, Mary Grant Prece, doaram centenas de obras de arte e uma grande quantidade de dinheiro para East Los Angeles Colégial na década de 1960, a fim de alavancar o The Vincent Price Art Museum, em Los Angeles. O Vincent Price Art Museum foi construído para exposições de obras de arte. Sua filha, Maria Victoria Price, nasceu em 1962, e foi batizada como Victoria por causa do primeiro grande sucesso de Price, a peça Victoria Regina . O último casamento de Price foi com a atriz australiana Coral Browne (1913-1991), que apareceu com ele (como uma de suas vítimas) em As Sete Máscaras da Morte, em 1973 . Ele se converteu ao catolicismo para se casar com ela, e ela se tornou uma cidadã dos EUA por ele. Browne faleceu a 29 de maio de 1991, dois dias depois do aniversário de Vincent, deixando-o inconsolável em seus últimos anos de vida.



Um exemplo de sua ação política franca veio quando ele concluiu um episódio de O Santo intitulado Acto of the murder,  que foi ao ar na NBC Radio em 30 de julho de 1950. Price denunciou o preconceito racial e religioso como uma forma de veneno e alegou que os americanos deveriam lutar ativamente contra ele porque o preconceito racial e religioso nos Estados Unidos são suportes combustíveis para os inimigos da nação. Price mais tarde foi nomeado para as Ministério das artes indianas e ofícios do Conselho Americano, sob a gestão de  Dwight D. Eisenhower (1890-1969), presidente dos Estados Unidos, e Price se surpreendeu com a nomeação, já que Eisenhower era um republicano, e o ator, democrata.



Vincent Price sofria de enfisema , resultado de ser um fumante ao longo da vida, e doença de Parkinson , e os sintomas foram especialmente graves durante as filmagens de Edward Mãos de Tesoura , tornando-se necessário encurtar a participação do veterano e admirado ator.



Sua doença também contribuiu para a sua aposentadoria. Price morreu de câncer de pulmão, a 25 de outubro de 1993, no UCLA Medical Center , com a idade de 82 anos. Ele foi cremado e suas cinzas espalhadas numa cerimonia privada com os familiares no Point of Dume, em Malibu, Califórnia.


FILMOGRAFIA PARCIAL


*Serviço de Luxo (Service de Luxe, 1938)
* A Torre de Londres (Tower of London, 1939)
* A Volta do Homem Invisível (The Invisible Man Returns, 1940)
*A Casa das Sete Torres (The House of the Seven Gable, 1940)
*O Filho dos Deuses (Brigham Young, 1940)


* A Canção de Bernadette (The Song of Benadette, 1943)
*Laura (Laura, 1944)
*As Chaves do Reino (The Keys of the Kingdom, 1944)
*Amar foi minha Ruína (Leave Her to Heaven, 1945)
*Rosas Trágicas (Moss Rose, 1947)


* Abbott e Costello Encontram Frankenstein (Abbott and costello Meet Frankenstein, 1948) - como a voz do Homem Invisível, no final do filme
*Lábios que Escravizam (The Bribe – 1949)
*Seu Tipo de Mulher  (His Kind of Woman, 1951)
*A História de Las Vegas (Las Vegas Storie, 1952)
* Museu de Cera (House of Wax, 1953)
* A Máscara do Mágico (The Mad Magician, 1954)
*Tenho Sangue em Minhas Mãos (Dangerous Mission, 1954)
*Os Dez Mandamentos (The Ten Commandments, 1956)


*A História da Humanidade (The Story of Mankind, 1957)
* A Mosca da Cabeça Branca (The Fly, 1958)
* A Casa dos Maus Espíritos (House on Haunted Hill, 1958)
* O Monstro de Mil Olhos (Return of the Fly, 1959)
* A Mansão do Morcego (The Bat, 1959)
* Força Diabólica (The Tingler, 1959)


* A Queda da Casa de Usher / O Solar Maldito (The House of Usher, 1960)
* O Poço e o Pêndulo / A Mansão do Terror (The Pit and the Pendulum, 1961)
* Robur, o Conquistador do Mundo (Master of the World, 1961)
* Muralhas do Pavor (Tales of Terror, 1962)
* Vício Que Mata (Confessions of an Opium Eater, 1962)
* A Torre de Londres (Tower of London- Remake- 1962)


* O Corvo (The Raven, 63)
* Diário de Um Louco (Diary of a Madman, 63)
* Farsa Trágica (The Comedy of Terrors, 63)
* O Castelo Assombrado (The Haunted Palace, 1963)
* Nos Domínios do Terror (Twice-Told Tales, 1963)
* A Máscara Mortal / Orgia da Morte (The Masque of the Red Death, 1964)
* O Último Homem Sobre a Terra / Mortos Que Matam (The Last Man on Earth, 1964)
* Túmulo Sinistro, O (The Tomb of Ligeia, 64)
* A Máquina de Fazer Biquinis (Dr. Goldfoot and the Bikini Machine, 1965)
*Os Chacais ("The Jackals, 1967)


* O Caçador de Bruxas (The Conqueror Worm / Matthew Hopkins: Witchfinder General, 1968)
*Mais Morto do que Vivo (More Dead Than Alive, 1967)
* O Ataúde do Morto-Vivo (The Oblong Box, 1969)
* Agonia do Terror / Grite, Grite Outra Vez! (Scream and Scream Again, 1969)
*Lindas Encrencas, as Garotas (The Trouble with girls, 1969)
* Cry of the Banshee (1970)
* O Abominável Dr. Phibes (The Abominable Dr. Phibes, 1971)
* A Câmara de Horrores do Abominável Dr. Phibes / A Vingança do Dr. Phibes (Dr. Phibes Rises Again, 1972)


* As Sete Máscaras da Morte / Teatro da Morte (Theatre of Blood, 1973)
* A Casa do Terror / A Casa dos Rituais Satânicos (Mad House, 1974)
* Jornada do Pavor (Journey Into Fear, 1975)
* O Clube dos Monstros (The Monster Club, 1980)
* Romance in the Jugular Vein (1980)
* A Mansão da Meia-Noite (House of the Long Shadows, 1983)
* Banho de Sangue na Casa da Morte (Bloodbath at the House of Death, 1985)
* Do Sussurro ao Grito (From a Whisper to a Scream, 1987)
*As Baleias de Agosto (The Whales of August, 1987)
* Policiais em Apuros (Dead Heat, 1988)
* Edward Mãos-de-Tesoura (Edward Scissorhands, 1990)

Produção e Pesquisa: Paulo Telles

16 comentários:

  1. Magnífico meu caro! Como sempre você escreve artigos completos e fascinantes. Foi graças ao Tim Burton que a minha geração pode conhecer a lenda Vincent Price. Sua marcante voz é de todas as suas marcas registradas a minha predileta. Adoro House of Wax e os filmes que ele fez com William Castle, meus favoritos.

    Permita-me fazer uma correção. Você diz que ele morreu há dez anos, mas já fizeram 20!

    Grande Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo, agradeço a correção, são de fato 20 anos de seu desaparecimento, e com uma semana tão corrida me deixei permitir tal enrolo, já que o notável Vincent faleceu em 1993.

      Importante também considerar a notoriedade de Vincent através de Tim Burton para as gerações mais recentes, e mesmo porque Tim sempre admitiu ser um fã ardoroso do ator. Achei muito bacana o cineasta lembrar dele em EDWARD MÃOS DE TESOURA, mas infelizmente, ele já estava bem debilitado e doente, e sua participação na fita teve que ser curta.

      Sua voz é marca registrada sem dúvidas!

      Abraços amigo!

      Excluir
    2. PS- Já foi corrigido, obrigado por me alertar, Rodrigo!

      Excluir
  2. PARABENS, MEU NOBRE AMIGO POR MAIS ESTE TRIBUTO AO REI DO HUMOR NEGRO!
    VINCENT PRINCE SE NOTABILIZOU PELOS FILMES DE TERROR, TAIS COMO: MUSEU DE CERA;A MOSCA DE CABEÇA BRANCA;O SOLAR MALDITO; AS 7 MASCARAS DA MORTE;E, ABOMINÁVEL DR. PHIBES, OS QUAIS CONSIDERO SEUS PRINCIPAIS FILMES.
    ALÉM DE ATOR VINCENT ERA ESCRITOR E UM GRANDE GOURMET. ESCREVEU VÁRIOS LIVROS DE RECEITAS CULINÁRIAS. ELE TINHA UM PROGRAMA DE TV, CUJO TEMA ERA A CULINÁRIA...
    SUA MARCA PRINCIPAL NO CINEMA É O HUMOR NEGRO;ADORAVA SHAKESPEARE, POR ISSO MESMO CONSIDERA AS 7 MASCARAS DA MORTE O SEU FILME PREFERIDO.
    CONCERNENTE AO HUMOR NEGRO AÍ VAI UMA CURIOSIDADE CONTADA POR VINCENT PRICE, QUANDO ELE E PETER LORRE FORAM AO FUNERAL DO GRANDE BELA LUGOSI: PETER LORRE AO VER BELA LUGOSI VESTIDO COM A SUA FAMOSA CAPA PRETA DO DRACULA, BRINCANDO FALOU PARA O MR. PRINCE: “VOCÊ NÃO ACHA QUE DEVERÍAMOS ENFINCAR UMA ESTACA NO CORAÇÃO DO BELA LUGOSI?
    EM SEU UMTIMOS DIAS DE VIDA, QUANDO LHE SOLICITAVAM AUTÓGRAFOS, ELE ASSINAVA DOLORES DEL RIO! QUANDO PERGUNTADO, POR QUÊ, ELE RESPONDEU: PROMETI A ELA NO SEU LEITO DE MORTE QUE EU FARIA O QUE PUDESSSE PARA MANTER O SEU NOME VIVO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    UM GRANDE FILME DELE SEM SER DE TERROR FOI LAURA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu nobre amigo Major Eddie, como sempre seus comentários, assim como a do nosso Jurandir, só tem a acrescentar as minhas matérias. Vincent Price Foi sem dúvida um ator refinado e por que não dizer um renascentista? Se lermos todas suas biografias, todos vamos ser unânimes em concordar que Vincent Price era boa praça e uma excelente pessoa. Parecia um cara bem liberal e de formidável senso de humor.

      Dos filmes não horror que destaco mais na carreira de Price sem dúvida LAURA e AMAR FOI MINHA RUÍNA ganham de letra. LÁBIOS QUE ESCRAVIZAM e SEU TIPO DE MULHER foram ótimos no setor noir.

      Excluir
  3. Amigo Telles,

    Diante de tudo que acabo de ler e conhecer deste grande homem das artes, percebo que apenas imaginava que o conhecia, tendo agora a certeza de que nada passou de mera suposição.

    Vi o primeiro filme do Price quando assisti a Os Dez Mandamentos, se seguindo ao modesto A Mosca da Cabeça Branca, de 1958.

    Daí em diante conheci uma série de fitas de horror do Corman e até imaginei que este ator nascera para aquele genero de filme.

    Erro enorme, erro prematuro e imperdoável, pois este formidável ator me surpreendeu pouco tempo depois com seu perfeito desempenho em Amar foi Minha Ruina e logo também em Laura, do Preminger. Não pela ordem de criação, mas pela ordem que os assisti.

    Foram dois papéis onde se pode visivelmente tabular o talento deste ator como um astro de grandeza "um" onde pode, com sua naturalidade criativa, interpretar qualquer personagem e se sair cada vez melhor em cada uma delas.

    E dentro do rosário de filmes que assisti com este bom ator, o que acabo de conhecer de sua filmografia, não nego que me privei de ver muito mais de 80% de todo seu trabalho como intérprete.

    Um justo e bem elaborado tributo a mais um grande ator que seguidamente perdemos, já que foi astro que brilhou muito cedo e em idos muitos remotos aos dias atuais.

    jurandir_li,a@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Jurandir!

      Price era um ator eclético, e podia desempenhar qualquer tipo de papel. Talento é isso! Vemos a filmografia de Price e nos deparamos com aventuras, criminais, capa & espada, épicos, e até mesmo dois filmes de teor religioso (A CANÇÃO DE BERNADETE e OS DEZ MANDAMENTOS) antes de se firmar como astro dos filmes se suspense e terror. MUSEU DE CERA e A MOSCA DA CABEÇA BRANCA são dois exemplares espetaculares ao estilo que o notabilizou.

      Agradeço pelos teus comentários, amigo da Bahia, e espero que vc esteja bem. Abraços nobres deste editor!

      Excluir
  4. Oi, Paulo!
    Agradeço-te a honra da tua visita e teu comentário tão gentil. Fiquei mesmo muito lisonjeada, pois meus posts são muito mais ligados às minhas recordações cinéfilas do que à questão cinematográfica propriamente dita. Mas aqui, no teu espaço, fiquei maravilhada e só tenho que te aplaudir de pé, adorei!
    Vincent Price, o que poderíamos dizer mais desse artista completo? Assisti muitos desses filmes citados por ti e, apenas uma curiosidade, se me permitires, gostaria de acrescentar: foi ele o pioneiro a filmar "O Último Homem da Terra" que já teve duas super produções, uma com Charlton Herston e a segunda foi de Will Smith. Mas, quer saber? Nenhuma delas conseguiu se aproximar da versão de Price, mesmo com os escassos recursos técnicos de que dispunha à época. Mestre é Mestre, e Vincent Price tem seu lugar garantido na galeria dos Grandes Mestres na arte de contracenar do cinema mundial.
    Parabéns, amigo! Continue e seja muito feliz nessa tua jornada pela Sétima Arte. Saudações cinéfilas par ti também e um carinhoso abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações Vanuza! de fato foi esquecido de mencionar a versão estrelada por Will Smith, que em verdade foi a terceira. A Primeira versão foi estrelada por Price, seguido pelo amigo Charlton Heston, em 1971, A ÚLTIMA ESPERANÇA DA TERRA. Na minha modesta opinião, a versão de Price é inovadora,mas creio que não podemos também deixar de lado a versão estrelada pelo astro de BEN-HUR. Quanto a versão de Smith, ainda não assisti, logo não poderia traçar um comentário, mas vou procurar ver.

      Como bem disse, Price tem seu lugar no rol dos grandes artistas do Século XX.

      Agradeço pelas suas palavras incentivadoras e aguardo outras visitas suas, será sempre bem vinda. Um abraço deste editor.

      Excluir
  5. Caro amigo, Paulo!
    Você nem imagina como todos nós aqui em casa ficamos exultantes com o seu lindo espaço. Meu marido e filho também "sofrem de cinefilia crônica" [risos] e quando chegaram do trabalho à noite, ficaram vasculhando seu blog com uma voracidade incrível.
    Da minha parte, vou tirar sempre um bom tempinho para revisitar meus queridos ídolos do passado, pois foi com o cinema que aprendi também a viver. Papai e mamãe sempre vestiam as melhores roupas e era um verdadeiro ritual para sairmos aos domingos para as matinês. Ali, víamos de tudo, desde o cinema mexicano com a deusa María Félix (infelizmente já esquecida) até à loura platinada, Marilyn Monroe. Branca de Neve e os Sete Anões faziam a alegria da garotada, sem contar com as chanchadas da Atlântida. Enfim, a magia do cinema sempre nos atraiu por várias gerações. Muita coisa a dizer, Paulo, perdoe-me se sou tão prolixa...
    Te agradeço de coração por linkar-me ao teu belíssimo espaço, embora eu não mereça tanto.
    Muita força aí, amigo! Deus te abençoe!!!!
    PS: Li seus comentários aos meus e curti muito tudo o que você falou. O que me chamou muito atenção foi que, aliado ao seu vasto conhecimento, você respeita aqueles que o visitam, isso é bom, isso é sinal de alto nível cultural e educação. Me aguarde, hein? Eu volto!!!

    ResponderExcluir
  6. Mais uma vez minha amiga Vanuza, agradeço suas carinhosas palavras, que só tende a incentivar ainda mais meu trabalho, que faço mesmo de coração. Agradeço também ao seu marido e filho por visitar este espaço que já é de vocês todos.

    O FILMES ANTIGOS CLUB ARTIGOS já esta no ar a 3 anos, e desde a sua elaboração, meu projeto foi de levar curiosidades sobre os filmes clássicos e os saudoso astros e estrelas do passado, e meu gosto começou também tenro, muito embora não tenha vivido a época de ouro do cinema.

    Interessante mencionar MARIA FÉLIX, pois o cinema mexicano fez muito sucesso por aqui por volta da década de 1950, e as empresas de cinema se revezavam em seus circuitos exibirem filmes mexicanos com os filmes de Hollywood (sim, havia muitas salas de cinema como vc deve saber. Os cinemas de rua acabaram em muitos lugares, restando apenas nos Shopping Centers, mas não é a mesma coisa) - e não havia como não conhecer Maria Felix, Pedro Armendariz, e outros mais que laurearam as telas com suas atuações. Recentemente assisti MESSALINA, estrelada por Maria Felix, pelo youtube. Quem postou o vídeo, lembrou dela, e logo digo que nem tudo esta perdido, pois os poucos que se lembram destas estrelas quase esquecidas fazem a diferença.

    Vanuza, acho o respeito vital para o aprimoramento de um espaço. Acho que o respeito pelas opiniões, mesmo que venham a divergir, tem que ser respeitadas, mesmo que não concordemos com que o o outro fale. Não sei minha amiga, se é alto nível de cultura, mas educação é uma coisa que sinceramente não abro mão.

    Aguardamos sua volta, Vanuza. Seu espaço mereceria uma divulgação até maior, pode acreditar!!!!

    Abraços do Editor!

    ResponderExcluir
  7. Cara Vanuza Pantaleão,

    Como leio todos os comentários sobre as postagens do nosso Telles, a sua não me passou desapercebida.

    E fiquei intrigado com seu dito de 30/10, quando tocou no assunto do filme A Ultima Esperança da Terra feita com o Price.

    Jamais ouvi falar deste filme e, nem na Internet, em Melhores Filmes, consegui achar este filme do Price, tendo visto apenas a versão do Heston, onde o Edward G Robinson faz sua ultima apresentação no cinema, pois faleceu logo apos as filmagens, e o de W Smith, acho que ao lado da Alice Braga.

    Assim, cara amiga, agradeceria se me desse mais detalhes desta fita como; titulo em portugues, ano de produção e algo mais que possa estar ao seu alcance.

    Sou muito amante de cinema e odeio deixar passagens desconhecidas para mim, como é este caso pois, jamais ouvi falar deste filme e até gostaria de ver.

    Não sei, mas acho a obra feita com o Heston muito perfeita e seria um momento muito bom para comparações.

    Foi um enorme prazer contatar contigo e, pelo que sonsegui observar no seu diálogo com o Telles, tens também um blog, que adoraria conhecer e dar nele alguns palpites.

    Grande abraço

    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
  8. Que linda homenagem, eu amo Vincent Price !!!!

    Tenho uma página no face como Vincent Price Brasil, infelizmente não tenho tempo pra me dedicar muito, mas a criei justamente pq não encontrei nada no face em homenagem à ele, no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fabrina pelo comentário e sua participação.

      Vincent merece muitas homenagens das mais diferentes formas, não é mesmo? rs - um ótimo dia e saudações do editor!

      Excluir
  9. Belíssima homenagem Paulo querido, eu amo o Trio Vincent Price,Christopher Lee e Peter Cushing... que por sinal também aniversariam com ele, Peter em 26/05 e Vincent e Chris hoje dia 27/05. Tantos geminianos talentosos assim , só podia dar neste maravilhoso Trio de sucessos.
    Parabéns a todos os três pela gloriosa carreira.
    Vincent tem um filme que eu adoro, e que mostra como ele é talentoso.
    "O Solar de Dragonwick" em que ele está jovem e bonito e contracena com a bela Gene Tierney. Filmes assim, que via muito no extinto e adoro TelecineClassic. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Siby, e devo dizer que é uma "terrível" coincidência os três terem nascidos tão perto do outro não é mesmo? Um "Trio Terrível" rsrsrs.

      Excluir

NOTAS DE OBSERVAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS.

1)Os Comentários postados serão analisados para sua devida publicação. Não é permitido ofensas ou palavras de baixo teor. É Importante que o comentarista se identifique para fins de interação entre o leitor e o editor. Comentários postados por "Anônimos" sem uma identificação ou mesmo um pseudônimo não serão publicados e serão tratados como spam

2)Anúncios e propagandas não são tolerados neste setor de comentários, pois o mesmo é reservado apenas para falar e discutir as matérias publicadas no espaço. Caso queira fazer uma divulgação, mande um email para filmesantigosclub@hotmail.com. Grato.

O EDITOR


“Posso não Concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dize-la”

VOLTAIRE

Outras Matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...