quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Adios, Amigo: Giuliano Gemma (1938-2013)



Herói dos Westerns a Italiana e dos épicos titânicos, mas vale lembrar também como um intérprete de grandes cineastas como Luchino Visconti a Valerio Zurlini. O espanto, logo na primeira impressão ao se saber da notícia, é que tinhamos conhecimento que este herói, que tão bem desempenhou o cowboy protótipo do mocinho simpático e correto, que tantas emoções nos proporcionou nas telas nas décadas de 1960 e 70, que ainda gozava de boa saúde e estava em plena atividade artística, veio a falecer brutalmente. Giuliano Gemma morreu aos 75 anos, após um grave acidente de carro em Cerveteri, perto de Roma na noite de ontem, 1º de outubro. O ator ainda foi socorrido e levado para um hospital, mas não resistiu. Outros dois passageiros também se feriram no acidente.

Seu funeral será realizado na próxima segunda-feira, dia 7,  às 10 horas (horário de Roma), em Santa Maria dos Milagres, na Piazza del Popolo, em Roma. No domingo, esta prevista um evento religioso (ainda não confirmado). Para o funeral do ator, deve aguardar os resultados da autópsia  que já foi solicitado pelo magistrado do local, e que será realizada na sexta-feira. 


Nascido 02 de setembro de 1938 em Roma, Gemma incursionou no cinema ainda muito jovem, e por acaso, graças a sua dedicação aos esportes, como o Boxe e a Ginástica Olímpica, e seu porte de 1m84 foi chamando a atenção dos produtores italianos.  Contudo, apareceu sem muito brilho em comédias que exploravam mais sua aparência física, incluindo duas de diretores importantes: Veneza, a Lua e Você, de Dino Risi (1916-2008), e A Casa Intolerante, de Mauro Bolognini (1922-2001)




Foi extra MARCANTE na superprodução retumbante de William Wyler (1902-1981), Ben-Hur, de 1959, onde se destaca em pelo menos duas cenas importantes no épico clássico estrelado por Charlton Heston:  Quando Ben-Hur invade os aposentos de Messala (Stephen Boyd, 1931-1977) e o ameaça com a lança, e nos banhos romanos onde o Xeque Iderim (Hugh Grifhit, 1912-1980) lança as apostas nas corridas de quadrigas contra os romanos.


 Mas sua primeira grande oportunidade foi em 1962, quando Duccio Tessari (1926-1994) fez Arrivano I Titani, que no Brasil se chamou Os Filhos do Trovão. Vale lembrar sobre cinema italiano da época. Havia os grandes autores, como Federico Fellini, Luchino Visconti e Michelangelo Antonioni, mas no fim dos anos 1950 e início dos 60, a tendência dominante na indústria italiana eram os épicos mitológicos, os Espadas & Sandálias, ou  Peplum.  Tudo não passava de uma grande paródia, transformando o jovem e atlético Gemma (nas cenas que exigiam mais ação, como saltos e cenas de luta, ele não precisou de dublês) em uma revelação no papel de Krios, que os deuses do Olimpo enviam a Creta para derrotar tirano que está acabando com a população. A fita de Tessari era bem-humorada, ritimada, e criativa.


Em 1963, Luchino Visconti (1906-1976), precisando de um ator belo e carismático para encarnar o jovem Garibaldi, chamou Gemma para atuar em O Leopardo, mas a participação dele foi reduzida a quase nada na versão hollywoodiana, cortada e remontada, que circulou em todo o mundo.


Quando a moda dos épicos mitológicos saiu em cartaz, Gemma se instalou num novo gênero que o caracterizaria como um Rei: os Westerns Spaghetti, faroestes italianos rodados geralmente na Espanha (mas especificamente, região de Alméria). Com a moda em plena difusão, e com muitos atores norte-americanos até mesmo indo para a Europa para incursionar no novo gênero, Giuliano não fez por menos: adotou um nome artístico americano, MONTEGOMERY WOOD, como era de praxe por grande parte dos atores e atrizes europeus, com a finalidade de atrair o público americano e aumentar as rendas nas bilheterias internacionais. 



Com o novo nome americano, Gemma estrelou o que se tornou um grande clássico do gênero, ao lado da Trilogia de Sergio Leone (Por um Punhado de Dólares, Uns Dólares a Mais, e Três Homens em Conflito) – o filme é O Dólar Furado, de 1965, dirigido por Giorgio Ferroni (1908–1981), dando brecha a sua carreira, e sobretudo, se impondo como um astro absoluto dos westerns europeus, chegando até a ser equiparado como um novo Randolph Scott para os italianos. Logo não tardou, Giuliano estrelou outras obras do gênero, como Uma Pistola para Ringo e Dias de Ira.


Giuliano Gemma também, atuou em outros estilos: comédias, aventuras, dramas, criminais, e trabalhou durante sua carreira com atores como Kirk Douglas, Rita Hayworth, Henry Fonda, Florinda Bolkan, Liv Ullman, Philippe Noiret e Catherine Deneuve.


Foi em 1965, quando filmava Uma Pistola para Ringo, que conheceu a mulher, Natália Roberti. Foi uma união feliz por 30 anos, até a morte dela em 1995. Da união, nasceram duas filhas, sendo uma delas a atriz Vera Gemma. Se casou depois pela segunda vez com Baba Richerme. Nos últimos anos, ele ainda estava em plena atividade, principalmente na TV, onde chegou a atuar num filme sobre a vida do Papa João Paulo II, interpretando o seu porta-voz, em 2005. Quando o cinema já não encontrava mais espaço, além de se dedicar a televisão, acabou aderindo à outra arte: a escultura, onde dizia ter descoberto seu talento de escultor, e acabou recebendo elogios de críticos por sua nova atividade.


Em 2012, ele fez uma participação em Para Roma Com Amor, de Woody Allen, que acabou sendo seu último filme.




Giuliano esteve em duas ocasiões no Rio de janeiro. Uma, em 1969, quando O Rei do Gatilho a Italiana conheceu o Rei da Música Brasileira, Roberto Carlos, visitando as praias cariocas e as ruas do centro carioca junto com o cantor Wilson Simonal (1939-2000). A Segunda foi em abril de 1986, a convite de um amigo italiano casado com uma brasileira.


Contudo, Giuliano Gemma será sempre eterno não apenas nas reprises de seus filmes (ao menos, nas nossas reprises pessoais na nossa Sala Vip, pois temos o DVD e o Blu-Ray) mas também na mente e nos corações dos seus fãs, amigos do cinema, amantes da Sétima Arte, que apreciam os bons momentos de ação e aventura, e isto, com certeza, o imortal Giuliano nos legou em cheio, como um dos mais brilhantes e belos mocinhos que as plateias do mundo inteiro conheceu.


Produção e Pesquisa: Paulo Telles.




FILMOGRAFIA DE GIULIANO GEMMA

Venezia, la luna e tu (1958) – Dir. Dino Risi
Arrangiatevi! (1959)
Io amo...tu ami (1961)
Il nemico di mia moglie (1959)
Ben-Hur (film 1959)|Ben-Hur (1959) (não creditato)
A qualcuno piace calvo (1960) (não creditato)
Messalina venere imperatrice (1960)
I cosacchi (1960)
Il pianeta degli uomini spenti (1961)
Arrivano i titani (1962)
Il Gattopardo (“O Leopardo”) (1962) – Dir. Visconti
Il giorno più corto (1963)
Maciste l'eroe più grande del mondo (1963)
La schiava di Bagdad (1963)
I due gladiatori (1963)
Ercole contro i figli del sole (1964)
Angelica (1964)
La rivolta dei pretoriani (1964)
Una pistola per Ringo (“Uma Pistola para Ringo”) (1965)
Erik il vikingo (1965)
La meravigliosa Angelica (1965)



Adiós gringo (“Adeus, Gringo”) (1965)
Angelica alla corte del re (1965)
Un dollaro bucato (“O Dólar Furado”) (1965)
La ragazzola (1965)
Il ritorno di Ringo (1965)
Arizona Colt (“Arizona Colt”) (1966)
Per pochi dollari ancora (1966)
Kiss kiss....bang bang (1967)
I lunghi giorni della vendetta (“Dias de Vingança”) (1967)
Wanted (“Minha Lei é Matar ou Morrer”) (1967)



I giorni dell'ira (“Dias de Ira”) (1967)
Violenza al sole (1968)
... e per tetto un cielo di stelle (1968)
I bastardi (1968)
Sons of Satan (1968)
Vivi o, preferibilmente, morti (1969)
Il prezzo del potere (1969)
Quando le Donne Avevono la Coda (“Quando as Mulheres Tinham Rabo”) (1971)
L'arciere di Sherwood (1971)
Corbari (“A Guerra Subterrânea”) (1971)
Amico, stammi lontano almeno un palmo (1972)
Un uomo da rispettare (1972)
L’amante dell’Orsa Maggiore (“Código Ursa”) (1972)
Troppo Rischio per um Uomo Suolo (“Velocidade, Caminho da Morte”) (1973)
Il maschio ruspante (1973)
Anche gli angeli mangiano fagioli (Dois Anjos da Pesada) (1973)
Delitto d' amore (1973)



Il bianco, il giallo, il nero (“Três Homens, Uma Lei”) – Dir. Sergio Corbucci (1974)
Anche gli angeli tirano di destro (“Os Anjos Batem Melhor com a Direita”) (1974)
Africa Express (1975)
Safari Express (1976)
Il deserto dei Tartari (1976)
Il prefetto di ferro (“Prefeito de Ferro”) (1977)
California (1977)
Corleone (“Reunião da Máfia”) (1978)
Il grande attacco (“A Grande Batalha”) (1978)
Um Uomo in Ginochio (“Poderes da Máfia”) (1978)
Sella d'argento (“Sela de Prata”) (1978)
Commando d' assalto (1980)
L'avvertimento (“Advertência”) (1980)
La baraonda (1981)
Ciao Nemico (1981)
Tenebre (1982)
Senza un attimo di respiro (1983)
Le Cercle des passions (1983)
Claretta (1983)


Com Quentin Tarantino

Tex e il signore degli abissi- Tex e o Senhor do Abismo (1985)
Qualcuno pagherà? (1986)
Speriamo che sia femmina (1986)
Rally (1986)
Il padre americano (1987)
L' agguato (1988)
Melancholy of Florence (1990)
Ya no hay hombres (1991)
Firenze no kaze ni dakarete (1991, Cinema japonês)
Non ci sono più uomini (1991)
Un bel di' vedremo (1996)
Un uomo per bene (1999)
La donna del delitto (2000)
Giovanna la pazza (2001)
L' inchiesta (2006)
Para Roma com Amor (2012)



Televisão:
Circuito chiuso (1978)
Caccia al ladro d' autore (1985-1986) (7 episódios)
Rally (1988)
Prigioniera di una vendetta (1990)
I promessi sposi (1990)
Dagli appenini alle ande (1990)
Non aprite all' uomo nero (1990)
La moglie nella cornice (1991)
Una storia italiana (1992)
Le Chinois (1992) (um episódio)
Jewels (1992)
Maximum Exposure (1995)
Deserto di fuoco (1997)
Marseille (1998)
Game over (1999)
Premier de cordée (1999)
L'uomo che piaceva alle donne-Bel Ami (2001)
Angelo il custode (2001)
La bambina dalle mani sporce (2005)
Giovanni Paolo II (2005)
Butta la luna (2006) (série TV)
Pompei (2007)
Il Capitano (série TV) (2005-2007) (14 episódios)

24 comentários:

  1. Um Lindo homem , um grande talento.
    Fui muito apaixonada quando criança e uma admiradora de seus trabalhos quando fique mais adulta. Pude entender que por trás da beleza havia um ator talentoso e muito competente. Uma grande tristeza, porque sabemos que merecia sempre o melhor. Deixa saudades e uma herança cinéfila muito importante. RIP :( Parabéns Paulo querido pela bela matérias, fotos inéditas para mim, e fatos bem interessantes. beijos !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado minha nobre amiga Sibely. Quando vi a notícia não pude acreditar. Estava ainda cheio de vida e cheguei até que poderia chegar aos 100 anos. Mas como diz uma amiga que temos em comum, é o ciclo da vida. Beijos

      Excluir
    2. Senti muito sua morte foi meu ídolo da juventude. Pena que sua morte foi tão trágica. porém deixará muitas saudades tenho belas lembranças e alguns DVDs. Obrigada pela bela reportagem vou guarda-la para sempre. Jeanete

      Excluir
    3. Todos sentimos Jeanete. Grato pelo seu depoimento.

      Excluir
  2. Cara, um texto perfeito para um grande ator, sempre gostei desde pequenino, é uma pena mesmo. Valeu cara! valeu Giu.! até a proxima, quem sabe lá em cima.
    Fabio Medicis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Fábio. Certamente que Giuliano fará muita falta. RIP

      Excluir
  3. Telles,

    Não era fanático pelos faroestes italianos mas, por incrivel que possa parecer, vi O dolar firado e Uma pistola para Ringo.
    Até gostei dos dois, pois o novo ator dava ares promissores. Mas ai parei de ver estes filmes, me dedicando somente ao cinema americano.

    Porem, independente da boa matéria, como sempre alias, a morte de um ator que fomos fãs sempre nos atormenta de dor. E com o Wood não está sendo diferente. Que tenha uma boa paz em sua eternidade.

    Engraçado como eu pensava aue somente eu o havia descoberto em, Ben Hur. Lendo a reportagem capto que me enganei. Mas, realmente como dizes, ele aparece mesmo apenas em duas cenas, daí, creio, não ter sido creditado, o que acho abominável.

    É isso, amigo; perdemos mais um. E, de um em um lá se estão nos deixando todos nossos bons e queridos astros,

    Jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações, nobre baiano.! Sem dúvida, a morte de um ídolo como Giuliano Gemma nos abala de todas as maneiras. Nós nos acostumamos a vê-lo em ação, e certamente aqui no Brasil ele atingiu popularidade impar. Embora ele tenha de início adotado o nome artístico americano de Montgomery Wood, sempre preferi chama-lo de Giuliano Gemma.

      Detalhe interessante, Jurandir, que muitas pessoas, por mais que conhecessem, nunca repararam com atenção a participação do ator italiano em BEN-HUR, e o motivo que não foi creditado é que ele foi apenas um extra no clássico de Wyler.

      Mas como vc disse: de um em um, eles se vão, os astros queridos que agora, se fornam todos uma constelação no céu.

      Excluir
    2. Comecei a ver o Giuliano Gemma no Ben hur.. passou despercebido. pois era um mero extra. Depois vi todos seus filmes no final da decada de 60 e 70 . Era o nosso idolo. é com muita tristeza que soube da sua morte. Pois ainda á dias o vi na tv-RAI, poucos dias antes da sua partida. Estava em forma. . Mia um entre os famosos que se vai.

      Excluir
    3. Mais um entre os famosos dessa decada-60-70, que se vai. Era meu idolo. conheci bem sua obra. Vai em paz- Giuliano Gemma

      Excluir
    4. Saudações Alvaro! A tristeza é de nós todos que amamos o cinema em suas diversas esferas e estilos. Custamos a acreditar, pois estava muito bem ainda e atuando. Mas certamente, a vida continua, e o legado e a obra de Giuliano não perecerão enquanto os amantes da Sétima Arte e seus fãs se lembrarem dele e seus filmes. De certa forma, ele ainda vive e viverá sempre.

      Excluir
    5. Quando entrava em cartaz um filme desse belo mocinho, em nossa pequena Itaberaí, todas as mocinhas vestíamos roupas de festa ,fazíamos penteados no salão ,na esperança que ele descesse da tela para nos beijar..além do legado cinematográfico que esse maravilhoso ator deixou, fica tristeza de sua trágica partida..que Deus o tenha.

      Excluir
    6. Saudações Dorinha e seja bem vinda. Giuliano foi uma das maiores perdas do ano de 2013, ano que ficou marcado pelo desaparecimento de muitos astros e estrelas, mas foi deveras um choque a partida deste belo mocinho das telas, que mesmo aos 75 anos, ainda esbanjava ótima forma, e que tinha ainda muito que viver. Só podemos orar e perpetuar boas lembranças deste eterno galã e herói do Far-West Italiano.

      Excluir
  4. MAIS HOMENAGEM AO GRANDE GIULIANO GEMMA, FEITA PELO AMIGO PAULO...
    COMO VOCÊ SABE NÃO SOU MUITO FÃ DO CHAMADO SPAGUETT WESTERN, OUTRORA CHAMADO PELO CRÍTICO RUBENS BIÁFORA, DE UMA CONTRAFAÇÃO:UMA IMITAÇÃO ...
    MUITO EMBORA TENHA SIDO FEITA UMA ENXURRADA DESTA CONTRAFACÇÃO, CERCA DE 700, APENAS 10 OU 20 WESTERNS PODEM SER CONSIDERADOS DE PRIMEIRA LINHA.
    DENTRE ESTES WESTERNS PODEMOS DESTACAR ALGUNS ESTRELADO POR GIULIANO GEMMA:O DOLAR FURADO, DIAS DE IRA E ADEUS GRINGO.
    JÁ O CONHECIA, ANTES DELE SE DESTACAR NO GENERO, MORMENTE QUANDO FEZ PONTA EM BEN-HUR E ESTRELOU FILHOS DO TROVÃO.
    ADEUS GRINGO, RIP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Major, sei bem que vc não é um apreciador do western a italiana, mas sei que vc também reconhece que o mesmo nos legou grandes clássicos como vc mesmo mencionou. O Próprio Sergio Leone disse certa vez em uma entrevista, que ele era tido como o "Pai do Western Spaghetti", mas que se soubesse que teria gerado tantos FDPS..................

      Logo, sabemos a consequência de tantas produções de baixa linha, que nem de longe repetiam o êxito de O DÓLAR FURADO, DIAS DE IRA, e ADEUS GRINGO, bem como a trilogia de Leone.

      É isso aí! RIP Giuliano! Vá com Deus!

      Excluir
  5. A gente q gostamos de western perder o giuliano é o mesmo q perder um parente,fica um vazio muito grande, mas os filmes , os dvds estão aí para preencher essa laguna q Giuliano Gemma deixa nos amantes de filmes de western.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificilmente permito comentário "anônimo" no meu blog porque gosto de saber com quem me dirijo, contudo achei a presente opinião lúcida, apesar de alguns erros gramaticais. Ainda bem que os DVDS existem, bem como os Blu-Ray, e certamente, não haverá outro Giuliano Gemma nem nos próximos mil anos. De fato, vc tem razão...é o mesmo que perder um parente.

      Excluir
  6. Parabéns por esse artigo completo, fascinante, esplêndido amigo. Revi O Dólar Furado esses dias, quer dizer, madrugada afora mesmo tendo que levantar cedo no mesmo dia quando a Globo reprisou na Sessão de Gala.

    Uma lenda e uma perda trágica. Giuliano Gemma já eternizou o western e como era galã, não é?

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para minha surpresa, Rodrigo, a Globo tomou vergonha na cara, ao menos por um pouco, pois nem esperava que a emissora pudesse prestar este tributo a este grande Herói do Cinema.

      Revi O DÓLAR FURADO no fim de junho deste ano, com a dublagem original da Cinecastro e tendo o saudoso Francisco Milani dublando o Gary O'Hara de Gemma. Seria possível imaginar que o perderíamos 4 meses depois???

      Sem dúvida, Giuliano Gemma foi um dos homens mais belos das telas de cinema, suspirava as mulheres que o desejavam, e por aqui, as cariocas queriam tirar um pedaço dele quando aqui esteve no Rio de Janeiro, em duas ocasiões, sendo que a de 1969 foi a visita mais divulgada.

      Valeu pela sua nobre participação, amigo Rodrigo,

      Grande abraço!!!

      Excluir
  7. Giuliano Gemma. bonito, simpático, carismático e...grande ator. Lembro-me com nitidez de uma cena em que Ida Galli (onde andará?) nua e cruelmente amarrada no deserto por bandidos, agoniza. Giuliano, sob aquele sol escaldante que fazia sobressair ainda mais o seu porte másculo e seus dentes alvos, estanca, desce do cavalo e molha os lábios de Ida com um lenço embebido em água...cena forte e terna ao mesmo tempo.
    DESCANSE EM PAZ, GIULIANO GEMMA!

    Bom fim de semana, Paulo! Grata, mais uma vez e sempre, por sua gentileza! Também há um link do seu espaço no nosso blog.
    (meu PC está indo para a assistência técnica, em breve voltaremos aqui para não sairmos mais, rsrs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi amiga Vanuza

      Vc esta se referindo ao filme ADIOS GRINGO onde tem de fato esta cena com a sumida Ida Galli (segundo o site IMDB, ela abandonou a carreira ainda nos anos 70).

      Vanuza, já estou informado de seu "sumiço" e que possa voltar o mais depressa possível!!! Até a volta!

      Excluir
  8. Com a morte de Giuliano Gemma sai de cena um dos maiores ídolos do cinema mundial de todos os tempos.
    Vai nos fazer muita falta, que DEUS o tenha.

    ResponderExcluir
  9. ASSISTI MUITOS FILMES COM ESSE ATOR GIULIANO GEMMA,GOSTEI MUITO DO FILME DOLARE FURADO,PENA NÃO PROSSEGUIR MAIS ,PROF. ANTONIO MACHADO LUTADOR KUNG-FÚ- SEU FÃN.

    ResponderExcluir

NOTAS DE OBSERVAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS.

1)Os Comentários postados serão analisados para sua devida publicação. Não é permitido ofensas ou palavras de baixo teor. É Importante que o comentarista se identifique para fins de interação entre o leitor e o editor. Comentários postados por "Anônimos" sem uma identificação ou mesmo um pseudônimo não serão publicados e serão tratados como spam

2)Anúncios e propagandas não são tolerados neste setor de comentários, pois o mesmo é reservado apenas para falar e discutir as matérias publicadas no espaço. Caso queira fazer uma divulgação, mande um email para filmesantigosclub@hotmail.com. Grato.

O EDITOR


“Posso não Concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dize-la”

VOLTAIRE

Outras Matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...