quinta-feira, 12 de abril de 2012

O Bom e Veterano Batman: Nobre Adam West Ganha uma Estrela!


No último dia 5 de abril, o bom e eterno Batman da famosa série de TV exibida entre 1966 a 1968 recebeu merecida e justa estrela na famosa Calçada da Fama, a estrela de número 2.468, localizada em frente do Guinness World of Records Museum na Hollywood Boulevard.




E por que não? Afinal, é bem possível que o único e verdadeiro Homem Morcego na idolatria, imaginação, admiração, e paixão de fãs de todo o mundo, tanto do nobre ator quanto do herói criado por Bob Kane em 1939, já vinha merecendo esta honra.

William West Anderson, seu verdadeiro nome, nascido a 19 de setembro de 1928, foi criado em um rancho em Walla Walla, Washington. Formado em literatura e psicologia, decidiu seguir carreira artística. Foi leiteiro, vendedor em uma loja de departamentos, DJ de uma rádio, atuou, dirigiu, escreveu e produziu peças regionais, e foi apresentador de programas de variedades no Havaí, onde também trabalhou como piloto de avião turístico de pequeno porte, e principalmente, praticante de surf. Foi através como piloto turístico que Adam conheceu um agente que o levou para Hollywood, onde conseguiu para ele um contrato com a Warner Brothers.


Enquanto esteve com a Warner, ele fez participações em várias séries produzidas pelo estúdio na época, como Maverick, 77 Sunset Strip, Colt 45, Hawaiian Eye e Sugarfoot.
Em 1962, Adam se tornou ator em participações, trabalhando em filmes para o cinema e séries produzidas por diferentes estúdios. Entre elas, Os Detetives, com Robert Taylor (1911-1969), da qual integrou o elenco ao longo de sua terceira temporada.


Em 1964, interpretou um papel no curioso filme de ficção científica Robinson Crusoé em Marte (Robinson Crusoe on Mars), onde era o companheiro do protagonista, mas que morre quando aterrissam em Marte.

Em 1965, com o trabalho ficando escasso, realizou alguns trabalhos, atuando ao lado dos Três Patetas no filme Reis do Faroeste (The Outlaw is Comming), indo depois para a Europa estrelar um faroeste italiano, Os Quatro Implacáveis (I Quattro Inesorabili), título nos nossos cinemas, mas exibido na TV como Os Quatro Malditos, dirigido por Primo Zeglio (1906-1984).

Após atuar em um comercial da Nestlé no qual parodiava James Bond, Adam foi convidado pela Fox para estrelar a série Batman. Curiosamente, antes do cancelamento da série, West foi convidado por Margaret Thatcher, antes de se tornar a Primeira-Ministra da Inglaterra, a ensinar crianças na fase escolar as regras de trânsito em um documentário. Nesta viagem a Londres, Adam conheceu o produtor Albert Broccoli (1909-1996), que segundo ele, lhe ofereceu o papel de James Bond, em substituição a George Lanzeby, que não agradara ao público quando foi substituído por Sean Connery. Mas, sabiamente talvez, Adam declinou do convite, convencido de que a crítica britânica o crucificaria por um americano a desempenhar um agente inglês, assim como fizeram com Lanzeby, um australiano.


O personagem, criado em 1939 por Bob Kane (1915-1998) para a revista Detective Comics, já havia sido adaptada duas vezes para as Telas de Cinema em dois seriados das matinês na década de 40. Na década de 60, os direitos de produção foram cair nas mãos de William Dozier (1908-1991), cuja única familiaridade com o personagem era justamente os seriados antigos, que como a série de TV que ele produziria, também eram engraçados e havia até o uso das onomatopeias nas cenas de luta.



Juntamente com o roteirista Lorenzo Semple Jr (nascido em 1923), Dozier concebeu Batman como uma série televisiva de aventuras ao estilo dos velhos seriados, onde os heróis se envolveriam em situações absurdas, combatendo vilões e tentando escapar de hilárias armadilhas. Na foto acima, Bob Kane entre West e o Charada, Frank Gorshin.

Entretanto, West tinha pretensões de ser um astro de cinema ou televisão. Foi justamente um dos comerciais como James Bond para Nestlé que chamou a atenção de Dozier. West nunca negou que de início estava amedrontado, já que queria fazer uma carreira séria, mas depois começou a se animar e interpretar o personagem, cujas revistas lia quando criança. Na verdade, aos 10 anos, West colecionava vários quadrinhos, e entre eles incluía Batman, que o impressionou bastante - um herói meio morcego parecendo uma mistura de Conde Drácula e Charlie Chan (segundo suas palavras).




A SÉRIE estreou em 12 de janeiro de 1966, tornando-se imediatamente monstruoso sucesso e desencadeando a primeira febre da batmania americana, e sendo levada ao ar duas vezes por semana, as quartas e quintas feiras. O primeiro episódio terminava tal qual os saudosos Seriados de Cinema, satisfazendo a nostalgia do público adulto, e sua continuação era exibida na mesma semana, finalizando uma história de 50 minutos no total. A campanha publicitária surtiu efeito, levando a série à lista dos dez mais na televisão em sua primeira semana de exibição.

No auge da batmania, em 1966/67, entre a primeira e a segunda temporada, os produtores resolveram levar a série ao Cinema em um longa-metragem de alto orçamento, Batman, o Homem Morcego. Na época, o filme não emplacou comercialmente, possivelmente por não apresentar novidades, já que a versão cinematográfica é uma síntese das características da série. Em 1990, foi relançado nos cinemas brasileiros, emplacando grande sucesso por aqui.

A moda da batmania passou como fogo em palha, e a série não resistiu à uma terceira temporada, nem mesmo com a inclusão do Sex Appeal de Ivonne Craig, como Batgril.

Batman transformou o ator em um sucesso da noite para o dia, mas também ficou marcado pela imagem do Homem Morcego. Com dificuldades de conseguir novos trabalhos em filmes ou outras séries após o cancelamento de Batman, Adam explorou a imagem do herói dos quadrinhos ao longo dos anos vestindo-se a caráter, fossem em eventos, aparições públicas, circos, ou mesmo em promoções de luta livre americana.

Mas em 1977, West voltaria a interpretar Batman, dublando um desenho animado por semana. A princípio, recusou o convite, pois tentava se livrar do personagem, mas reconsiderou quando imaginou que não gostaria de ver outra voz interpretando o Herói. Em 1979, voltaria a vestir o uniforme do Homem Morcego no filme Legend of Super Heroes, voltando a contracenar novamente com seus colegas da série, como Burt Ward, o Robin, e Frank Gorshin (1933-2005), o Charada, onde Batman, juntamente com seu companheiro Robin, une-se uma liga de super-heróis para combater o crime, uma versão em forma de série do desenho Superamigos, que não emplacou de tão ridículo que era.


Hoje, West vem mantendo sua carreira com participações especiais em filmes e séries, muitas delas animadas. É casado desde 1970 com Marcelle Lear, sua terceira esposa, e tem seis filhos.

Parabéns, Mr.West! Esta estrela era sem dúvida esperada, antes tarde do que nunca. Vida Longa e com muita Bat-saúde.


BAT-PORTFÓLIO


Santo Relax, Batman!



Batman no Circo!

Com o Filho!


Eterna Santa Sedução, Batman! Julie Newmar, a verdadeira Catwoman!


Os Vilões que tanto Amamos!


O Milionário Bruce Wayne!


Batman Intelectual!


A Dupla Dinâmica!


O Bom e Veterano BATMAN...que não perde seu charme!


Bat-Simpático, distribuindo autógrafos!


Bat Experiência!


Bat-Amizade! Bons e Velhos amigos de tempos!


Dupla Dinâmica FOREVER! Mas Burt, por que engordou tanto? Não importa, será sempre o verdadeiro ROBIN!


FIM

28 comentários:

  1. PAULO, TENHO POUCO A FALAR DE ADAM WEST, MAS FOI UMA BAT-ESTRELA MERECIDA. VOCÊ TEMBÉM MERECE UMA ESTRELA PELO EXCELENTE POST.
    JULIE NEWMAR, A VARDADEIRA MULHER GATO, É UMA BELA MULHER -COMOS SE DIZ EM PIRACICABA - UM CAVALO DE MULHER...E FRANK GORSHIN FOI BOB FORD EM QUEM FOI JESSE JAMES...

    ResponderExcluir
  2. Frank Gorshin era genial, Eddie! lembro que ele foi o Bob Ford na obra de Nicholas Ray, e de certa forma, ele teve até uma carreira mais promissora do que West, que infelizmente depois do cancelamento da série,ficou quase no anonimato, mas Gorshin ficou muito ativo na TV e era um astro de Show Business. Faleceu em 2005 devido a um câncer, de tanto fumar.

    Obrigado amigo, mas todos vcs que comentam também merecem uma estrela.

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  3. Um Bat-post heim nobre Paulo Nery?!

    Que bom, fico feliz pelo nosso nobre Adam, uma figura realmente simpática e que merece reconhecimento, agora para sempre em registro na calçada da fama... é para não apagar esta estrela mesmo!

    Muito legal as trívias que você apresenta. Desconhecia, por exemplo, este filme: "Robinson Crusoe on Mars". Curioso.

    A série dos anos 60 era realmente um charme (pam! bow! Po!) vi poucos episódios e nota-se a marca do suor no uniforme dos atores, rs! O longa metragem de 66 é de fato uma repetição longa da série, esperava mais também.

    Adorei os cartazes brasileiros: "Côr de luxe" HA!

    West também chegou a dublar o personagem "O Fantasma Cinzento" em um episódio da série animada do Batman dos anos 90. Tenho na minha coleção as três primeiras temporadas e tem este episódio: Batman: The Animeted Series! Pois é, sou desta geração. Neste episódio Bruce Wayne criança era fã de um personagem de matinê (em preto e branco), seu herói predileto era este "Fantasma Cinzento" que inspirou o homem-morcego. É bacaninha.

    Tan nan nan nan nan Batman! FOREVER!

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre Rodrigo, este filme ROBINSON CRUSOÉ EM MARTE já levou na TV em antigas exibições na Sessão da Tarde. Não é um filme ruim, mas esperava mais por não contar com o “óbito” do West na fita, logo no início. Melhor é OS QUATRO MALDITOS, que consegui assistir ainda na minha infância, na sessões da TVS (hoje SBT) e Bandeirantes.

      Sem dúvida, os nossos cartazes eram demais. Peguei ainda os anos 70, época que ainda circulava em muitos jornais em seus segundo caderno toda a programação de cinema da semana. Aos Domingos então, era uma eterna galeria. Felizmente estou montando um caderno com alguns destes mini-posters (ganhei até um do amigo Edivaldo, com o ARMA PARA UM COVARDE) e fazendo algumas montagens com xerox. Aqueles eram ótimos tempos, onde a criatividade era reinante em todos os sentidos.

      Valeu pelo adendo! Além de outras dublagens, esta foi muito especial para Adam West, que praticamente faz um personagem quase idêntico, e foi até uma homenagem ao ator, que sem dúvida merece todos os tributos que lhe prestarem.

      Valeu, Rodrigão! Forte abraço

      Paulo Néry

      Excluir
  4. Batman e Robin,adorava esta dupla.Por anos a fio colecionei "figurinhas" de meus heróis recortadas de gibís e feitas em cera de vela que guardava em caixas também decoradas com suas fotos de vários tamanhos.Dizem que recordar é viver.Meu caro Paulo,meu grande abraço para você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Su, eu e meu irmão mais velho também tínhamos estes hábitos pueris. Recordar sempre é REVIVER, pois como vivemos estes tempos marcantes, é impossível esquecer, não é mesmo?

      Obrigado pelos seus doces comentários, e um grande abraço meu.

      Paulo Néry.

      Excluir
  5. É Paulo, realmente demorou para Adam West receber essa merecida homenagem com uma estrela na calçada da fama. Só fico na dúvida se é melhor ter sucesso e depois perdê-lo ou nunca tê-lo. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre Gil, acho que tudo depende de como vc administra. Muito complexo. Forte abraço.

      Paulo

      Excluir
  6. Santa homenagem, Paulo: finalmente atendeste aos meus apelos e teceste uma justa ode a algo que ultrapassou os limites de um seriado televisivo e se transformou num ícone da cultura pop mundial - Batman, com Adam West e Burt Ward!

    Eu amava este seriado quando criança, passei por um período de "negação" quando do lançamento de "Batman" de 89 (sabe como é, era adolescente, não mais um "meninão"...), voltei a gostar num momento de saudosismo no início da fase adulta, depois voltei a negá-lo (passei a ler gibis clássicos, onde o Homem-Morcego era mais sério) e, por fim, hoje, sei sopesar seu valor mágico e diferenciado (muito mais do que nas séries anteriores, onde, sim, havia os "POW" e "SOC", a série dos anos 60 foi um divisor de águas no tocante à criatividade e introdução do Teatro do Absurdo e do Besteirol na TV norte-americana), separando-o do personagem soturno que o Cavaleiro das Trevas sempre foi!

    Tenho um rascunho salvo no Blogspot sobre as maravilhosas Ivone Craig e Julie Newmar (ai, ai... Como eu suspirava... Ainda suspiro!) que, muito em breve, colocarei no ar, neste mês de "despedida" dos Morcegos - mas por tempo determinado!

    Abração e apareça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu nobre Dilberto, não somente aos seus apelos quanto também para os meus próprios, além de outros fãs de Batman. Pode se assegurar que este não será o único post dedicado ao Homem Morcego, ou ao Adam West.

      Eu cresci vendo a série (peguei na época da TV TUPI, do Rio de Janeiro, na década de 1970, aliás, a primeira emissora a exibir a série em cores no Brasil, vc sabia? E no programa do Capitão Asa, com o saudoso WILSON VIANA). Depois andou fora das estações até que em 1988 voltou em tom de ineditismo no SBT, para a alegria de muitos.

      Em 1989, veio o filme cinematográfico do Tim Burton, mas foi ai que se notou tantas diferenças entre esse e a série de TV.

      Claro que a série foi produzida num momento de grande repercussão mundial, pois os EUA estavam em plena Guerra do Vietnã, e todos sabemos que muitas destas séries, ainda se tratando de besteiróis, foram realizadas para desviar a atenção destes eventos. Logo, se fez mister realizar Batman em tom de comédia, não é mesmo? Mas não faz mal, entrou para a história, e veio para ficar, levando a notoriedade Adam West e Burt Ward.

      Pode contar que vou aparecer em sua matéria sobre estas duas Bat-Divas, ansioso para ler.

      Forte abraço

      Paulo Néry

      Excluir
  7. Apesar de me sentir feliz com a felicidade que deve estar a iluminar o ego do nosso querido ator, ele nunca foi um astro onde eu me sentisse muito ligado.

    Jamais fui muito de ver seriados. Não porque eles não me interessassem, mas sim porque TV em minha casa somente chegou nos anos 70, quando eu já era casado.

    Mas segui os movimentos de meus irmãos e primos, todos uns sobre os outros nos parapeitos das janelas de alguns vizinhos a assistirem diversos seriados.

    Eu nunca fiz isso, principalmente porque a minha vida era cinema, onde eu não precisava me esforçar tanto para ver o que desejava.
    Por esta razão nunca fui muito amante de seriados ou mesmo de herois das tirinhas de jornais, como Batman, Flash Gordon, Superman, X-Man,etc.

    Já os gibis de faroestes eu lia todos, mas também sem jamais ter assistido a um seriado sequer destes ou mesmo de outro genero.

    De um modo geral o Adam West, de quem não rejeito os trabalhos nem os critico, ele foi sempre um heroi de séries, muito pouco fazendo de cinema, fato este que o fez um tanto desconhecido no meu mundo.

    A respeito do 007 (James Bond) George Lanzeby, posso afirmar, acredito que como se uma generalidade, que ele tinha que ser mesmo substituido daquele papel.
    Foi o pior James Bond que o cinema já nos ofereceu, enquanto o Brosnan, ao lado do Connery, foram os que melhor se adaptaram ao papel.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre baiano.

      Mesmo os fãs do ator ou do herói encarnado por ele na famosa série televisiva, sabem bem que ele nunca foi um astro de primeira grandeza, mas sua notoriedade foi tamanha da mesma proporção de seu carisma que muitos o tem assim.

      West foi sensato em não embarcar como 007, e como bem disse, Lanzeby, foi o pior James Bond, apesar de estrelar um dos mais bem sucedidos filmes da série. Meus preferidos são Connery, Dalton, e Brosnan.

      Paulo Néry

      Excluir
  8. Depois do Homem-Aranha, Batman é o meu preferido. Muito bom a postagem. Este Batman é o do meu tempo... Valeu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É do nosso tempo, prezado Max. Valeu também e um forte abraço!

      Paulo Néry

      Excluir
  9. Ola meu querido amigo,que bom que gostastes desta postagem.Na real SHANE foi meu western preferido,e a musica deste filme sempre me chamou para um infinito mágico além daquelas colinas longínquas....Foi até um atrevimento meu cantar esta canção,pois me parece que a trilha sonora do filme é com o belíssimo arranjo de Victor Young.Sei que Ken Curtis cantou esta musica,só não lembro bem em que parte do filme.Não conhecia a historia do "Pergigão',achei genial.Obrigado pelo incentivo da tua parte e fica com meu grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga Su, imagine se consideraríamos um atrevimento vc cantar esta música, pois vc prestou uma homenagem não somente a este grande clássico, como também ao eterno Victor Young, um dos grandes mestres musicais da Sétima Arte. Onde quer que Young esteja, ele deverá estar orgulhoso e feliz com este seu incentivo, minha nobre amiga.

      Ken Curtis que foi cantor e ator, geralmente da trupe de John Ford e atuou no grande clássico do Mestre RASTROS DE ÓDIO (onde tem uma cena em que ele canta para Vera Miles), mas ele não atuou em Shane.

      O Paulo Perdigão era fã ardoroso de Shane. Tem bastante história dele, e sugiro este link no meu espaço para vc conhecer mais sobre este nobre brasileiro, que apesar de seu fanatismo um tanto exagerado pelo clássico, foi sem dúvida um dos grandes tributos para a cultura nacional:

      Paulo Perdigão: Tributo a um Crítico de Cinema Brasileiro

      LINK: http://articlesfilmesantigosclub.blogspot.com.br/2010/07/paulo-perdigao-tributo-um-critico-de.html

      Um forte abraço minha amiga, e continue sempre com este trabalho lindo em seu espaço.

      Paulo Néry

      Excluir
  10. Julie Newmar, Yvonne Craig e Barbara Eden já estão te esperando lá nos Morcegos, meu caro... Tentador, não?! Deusas do fetiche infanto-juvenil...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De mais, nobre Dil! Irei lá sim. Abraços!

      Paulo

      Excluir
  11. Otima historia do herói Batman interpretado por Adan West, divertiu muito a garotada da época da qual eu fiz parte...muita saudade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com toda certeza Jorge! Obrigado pelo comentário!

      Excluir
  12. conheci hoje seu blog. e achei maravilhoso . uma estrela para você também ´pr manter esses tyemas para todos nós. Um grande abraço
    Vlademir Ferreira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo comentário, Vlademir. Em verdade, todos vcs que comentam e participam deste humilde espaço merecem as honras devidas. Um grande abraço do editor.

      Excluir
  13. Conheci hoje esse excelente blog, muito completo, sei que levarei tempo para desfrutar de tudo que nele há, mas será um grande prazer, também sou amante de clássicos, parabéns pelo seu belo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Delio! Agradeço pelo cumprimento. Opiniões como a sua incentivam-me no prosseguimento deste espaço. Abraço do editor.

      Excluir

NOTAS DE OBSERVAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS.

1)Os Comentários postados serão analisados para sua devida publicação. Não é permitido ofensas ou palavras de baixo teor. É Importante que o comentarista se identifique para fins de interação entre o leitor e o editor. Comentários postados por "Anônimos" sem uma identificação ou mesmo um pseudônimo NÃO SERÃO PUBLICADOS.

2)Anúncios e propagandas não são tolerados neste setor de comentários, pois o mesmo é reservado apenas para falar e discutir as matérias publicadas no espaço. Caso queira fazer uma divulgação, mande um email para filmesantigosclub@hotmail.com. Grato.

O EDITOR


“Posso não Concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dize-la”

VOLTAIRE

Outras Matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...