quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A Polêmica Visita de Ava Gardner ao Rio de Janeiro, em 1954

Já se passaram mais de 50 anos quando o “animal mais belo do mundo” de acordo com as palavras de Jean Cocteau (1889-1963), poeta e cineasta francês, a diva eterna Ava Gardner (1922-1990) passou um período aqui na cidade em que vivo. Claro que eu ainda não viera ao mundo, no entanto, tal passagem deixou registros muito importantes, que nem mesma a atriz descartou em sua autobiografia Ava-My Story, que foi aqui lançada no Brasil pela Editora L&PM, um ano depois da morte de Ava, em 25 de janeiro de 1990.

Entretanto muitos registros da passagem da atriz na cidade maravilhosa ainda são controversos. De um lado, histórias populares do julgo dos cariocas e artistas que testemunharam os rompantes da diva. De outro, de comentários a respeito que levam a um cantor brasileiro e famoso na época, que teria “negado fogo” à estrela. E de outro, a própria Ava a declarar o que ocorreu propriamente, em sua estadia aqui em 1954, de acordo com sua autobiografia publicada pouco depois de sua morte.

Ava Gardner, considerada a mais espetacular estrela de Hollywood daquela época, havia chegado ao Rio da Janeiro em 1954 trazida pela United Artist, para divulgar seu filme mais recente, A Condessa Descalça (The Barefoot Contessa), de Joseph L. Mankiewicz (1909-1993). Ava no esplendor dos seus 34 anos, já havia cunhado o epíteto promovido por Jean Cocteau, que a perseguiria pelo resto de sua tumultuada vida.


Foi pouco depois do suicídio do presidente Getúlio Vargas, em agosto do mesmo ano e os agentes da atriz até temiam que uma revolução pudesse eclodir em nosso país. Entretanto, o tumulto que de fato ocorreu foi de outra ordem. Quando Ava chegou ao aeroporto do Rio, a multidão que a aguardava quebrou a barreira policial e invadiu a pista. A passagem de Ava Gardner pelo Rio de Janeiro foi muito tumultuada, ela reclamou das "mãos-bobas" no Galeão. Quando a atriz finalmente conseguiu chegar a um táxi, o carro não conseguiu partir, então ela teria batido na cabeça do motorista com seu sapato.

Evidentemente, e como não pôde deixar de ser, houve muitas euforias por parte do público masculino. Muito dona de si, a estrela detestava o elogio, clichê constante nos textos dos jornalistas pouco informados e menos criativos. Mas o Rio de janeiro, que até hoje, de forma provinciana recebe artistas menores como deusas estava literalmente aos pés da grande e verdadeira estrela do cinema internacional.


Conta-se que o Hotel que ela ficaria hospedada e a qual haviam os agentes reservado para atriz, o Hotel Glória, na região que saí do Centro da Cidade Maravilhosa em direção á Zona Sul, Ava não teria gostado das instalações, e imediatamente, exigiu ser hospedada no famoso Copacabana Palace.

Numa discussão com o gerente do primeiro hotel, bebidas foram atiradas ao chão, e segundo o que se chegou à imprensa, ela teria quebrado objetos no hotel. Ava, como toda prima dona, era realmente temperamental, acabando por ser a protagonista de um fantástico barraco no famoso Hotel Glória ou porque bebeu demais, ou porque não gostou da suíte que recebeu, ou mais provavelmente pelos dois motivos. Seja como for, foi o que se divulgou durante muito tempo, com ares de boatos, dúvidas, e incertezas, mesmo considerando o temperamento forte da atriz.


Mudando para o Copacabana Palace, onde o playboy Jorginho Guinle (1916-2004), um dos donos do hotel, que costumava receber com todas as mordomias as estrelas do cinema americano com o intuito de levá-las para a cama, mais pelo desfrute da fama do que pelo sexo. Durante toda sua vida, Guinle declarava que fez amor com todas elas. Lá também, encontrou celebridades de nossa cultura, como José Lewgoy (1920-2003). No entanto, apesar da “mudança de ares”, nem por isso Ava se livrou de confusões.

No Copacabana, Ava, após um de seus muitos pileques, resolveu meter-se (no sentido literal) com o crooner da orquestra do maestro Copinha, de nome Carlos Augusto. Este, descoberto por Ary Barroso, não demorou muito para chegar ao estrelato. Passou pelas mãos de Almirante, Paulo Gracindo, selando seu sucesso ao lado de Emilinha Borba em tourné pelo norte do país.


O crooner da orquestra do maestro Copinha, chegou a ter um caso amoroso com a atriz. Entretanto, quando Ava o chamou para sua suíte, parece que o cantor se intimidou com aquela beleza deusesca, monumento de desejo que até o mais simples dos mortais sempre desejou...pelo menos, em sonhos. Reza à lenda, o cantor “negou fogo” à atriz, talvez achando que ela fosse muita areia para o seu caminhãozinho. Até me fez lembrar uma cena de A Condessa Descalça, onde Maria Vargas (Gardner) esta num veleiro, e com um maiô bem sensual, aos olhos dos frequentadores. Todos ficam à babar, mas ninguém leva, com certeza por pura timidez.

Carlos Augusto (já falecido), tinha fama de conquistador, mas se intimidou quando viu aquele mulherão, e para “vergonha nacional”, brochou, e conforme o dito popular, irremediavelmente. Assim foi rotulado aos ares o pobre cantor. Carlos foi expulso por Ava da suíte, mas como ela estava um tanto agitada, não desistiu e desceu para o bar, pedindo mais um Martini. Anselmo Duarte (1920-2009), mais bem apanhado e mais bonito que Carlos Augusto, se insinuava para Ava, mas esta não deu a mínima bola ao nosso galã dos antigos clássicos da Atlântida.

Impressionou a todos com a quantidade de bebida que consumia, a ponto de um jornal publicar uma charge onde havia um copo com as medidas “para mulheres”, “para homens”, “para cavalos” e a máxima, “para Ava”. No fim, ficou trancada em sua suíte o tempo todo, encurtou sua visita, mas dizem que saiu na última madrugada aqui para conhecer a Cidade Maravilhosa.


Concedendo uma entrevista, declarou que o filme da sensação do momento, A Condessa Descalça era seu filme favorito e que estava no Brasil divulgando um esplendoroso trabalho, seguido de Mogambo, realizado por John Ford no ano anterior (em sua autobiografia, Ava declara Ford como um “Cavalo” de estúpido, mas que de certa maneira ela agradece ao Mestre, pelo ótimo desempenho que obteve, pois no fim, o prestigia) e disse que Os Cavaleiros da Távola Redonda era o seu pior filme. Ava não gostava de épicos.

Mas apesar dos dissabores aqui vividos, certamente existem fãs brasileiros, que além de não só admirar sua beleza, que sem dúvida é um marco na cinematografia, a admiram também como grande atriz. O legado de Ava Gardner é uma marca registrada de um período de ouro do cinema, período este de saudosas constelações, com seus eternos astros e estrelas do passado.


AVA CONTA SUA VISITA AO RIO DE JANEIRO


Em sua autobiografia, Ava dedicou algumas linhas à sua passagem pelo Rio de Janeiro. Não citou um nome sequer nem se referiu a nenhum caso amoroso. Vamos ao texto abaixo:

A United Artists não tinha nos colocado no hotel que eu havia pedido, mas sim numa espelunca que cheirava a fumaça e tinha mais queimaduras de cigarro do que a Carolina do Norte inteira. Por isso me mudei calmamente para o hotel que eu queria. Na manhã seguinte, no entanto, os jornais contaram uma história completamente diferente. Eu tinha chegado bêbada, fazendo confusões, descalça (era verdade que eu tinha chegado descalça, pois o salto do meu sapato quebrara quando fui amassada por uma multidão no aeroporto). Eu destruíra meu quarto, e a gerência do hotel, para provar a coisa, logo chamou fotógrafos, sem ter outra opção a não ser me expulsar.
O que realmente aconteceu foi que o hotel, numa espécie de vingança por eu ter decidido me mudar, contratou um verdadeiro exército destruidor menos de uma hora depois que saí. Quebraram todos os espelhos, atiraram garrafas de uísque por toda parte, destruíram a mobília, arrasaram literalmente com tudo.
Nem vamos considerar que eu não teria conseguido fazer todo aquele estrago mesmo com machados e uma semana para trabalhar. Todos acreditaram nas manchetes. Nem uma entrevista à imprensa e nem uma desculpa do governo brasileiro fizeram com que a verdade vencesse a mentira nos jornais do mundo inteiro.

Ava Lavinia Gardner – AVA, MY STORY, Capítulo XXII, Página 221.

NOTA DO EDITOR: Por mais de dois anos, Ava Gardner esquadrinhou sua memória, preenchendo noventa fitas cassetes com reminiscências de sua vida, desde sua infância de filha de agricultores até sua transformação numa legendária estrela da tela. Ela gravou a última fita poucos meses antes de sua morte repentina, em janeiro de 1990.

Produção e pesquisa de Paulo Telles

49 comentários:

  1. Que bela aula de história....como estudante me senti honrado.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico lisonjeado, Renato. Um grande abraço

      Paulo Néry

      Excluir
  2. PAULO, COMO SEMPRE,UM GRANDE POST: UMA BELA RETROSPECTIVA DA PASSAGEM PELO RIO DE JANEIRO DO ANIMAL MAIS BELO DO MUNDO.
    AVA GARDNER, SEM SOMBRAS DE DÚVIDAS UMA DAS MULHERES MAIS BONITAS DA SÉTIMA ARTE;UM VERDADEIRO MONUMENTO DE MULHER. COMO SE DIZ LÁ EM PIRACICABA:UM CAVALO DE MUIÉ!EM SÍNTESE, AVA ERA DOSE PRÁ CAVALO OU SERIA DOSE PRÁ MAMUTE!
    FINALIZANDO EU DIRIA QUE AVA É UM NECTAR DOS DEUSES.EMENDANDO EU DIRIA MAIS:AVA É COMO A VERDADEIRA DEMOCRACIA - ELA É PARA SEMI-DEUSES!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opaaaaaaa!!!!...rsrsr, sim meu amigo, não há como negar! Ava era um monumento a ARTE E A BELEZA!

      Paulo Néry

      Excluir
  3. Paulo, não deram a ficha do Anselmo Duarte para a moça. Mulheres do mundo inteiro vinham à procura do galã brasileiro para comprovar seu dote nada artístico. Tomando todas a Ava só tinha mesmo é que ficar com o crooner (você falou em estrelato?) que não deu conta do recado. O horrendo Jorginho Guinle se pavoneava das conquistas, mas só levava bêbadas para a cama porque Rita Hayworth, Kim Novak e outras, se sóbrias, teriam um acesso de riso ao ver o 'playboy brasileiro' de samba canção e o jogariam na pérgula pela janela do Copa. Seja lá como for, bons tempos aqueles em que estrelas de verdade vinham para o Rio principalmente em tempo de Carnaval. Atualmente nos camarotes das cervejas só se vê nomes que no próximo ano ninguém mais lembra... - Darci Fonseca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Darci meu nobre, me chegou esta informação de um conhecido que trabalhou durante anos no Copacabana. "Estrelato" bem possível de dentro do estabelecimento.

      Ah sim...sobre o lendário Jorginho...

      Para falar a verdade e a verdade, nunca acreditei nestas histórias, e vendo o aspecto dele, não fazia sentido ele seduzir as musas. Logo, aproveitando este seu comentário, embalo em concordar que só se elas tivessem fora de suas faculdades ou ébrias. Quando o Guinle morreu, um jornal que não me lembro fez um charge dele no céu, numa piscina, envolta das musas Rita Hayworth, Ginger Rogers, Ava Gardner, e Kim Novak. Charge criativa e bem produzida, apenas com um único erro e crasso: Kim ainda esta viva.

      Um abraço!

      Paulo Néry

      Excluir
  4. Agradeço a menção Paulo e lindo o vídeo desta diva. O artigo, mais uma vez, esta ótimo. Curioso e como eu gosto de curiosidades!!!

    Algumas fofoquinhas dela em sua passagem ao Brasil são notáveis, rs! Vou procurar a autobiografia, interessante. Nunca fui um fã número um de carteirinha de Ava, mas sempre gostei dos filmes de Mankiewicz, até mesmo os mais leves como "Barefoot Contessa" (e gosto de Bogart nesta fita) que parece ilustrar lindamente a passagem da estrela ao Rio De Janeiro (cidade que ainda não conheço pessoalmente).

    Amigo, muitas confusões e drinques heim? Rs! Dei muita risada com a negação de fogo do Carlos Augusto. Ava também poderia ser mais discreta não? Essas histórias de celebridades tendem a ficar na boca do povo mesmo. Por isso admiro Meryl Streep que nunca apareceu fazendo besteira. HA!

    Não sei se você já pesquisou listas de "Nomes Diferentes" registradas em cartório aqui no Brasil. Olha como as estrelas do cinema influenciam alguns fãs papais! Em homenagem a Ava Gardner e querendo endeusar outra diva do cinema, Gina LolloBrigida (acho que foi um pai) registra o nome de sua filha e depois a batiza como: AvaGina. Rs!
    Sugiro um artigo com este tema, não sei se já foi aqui em seu blog, mas seria interessante.

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joseph Mankiewicz era um grande diretor, pena que não foi tão reconhecido apesar das inúmeras obras que o creditam. Sem dúvida, A CONDESSA DESCALÇA é um grande marco de sua filmografia. Entretanto, devido ao fracasso de uma de suas últimas produções, CLEÓPATRA, 1963, com Elizabeth Taylor e Richard Burton, seu nome ficou um tanto apagado, pois foi uma megaprodução que quase faliu a 20ª Century Fox.

      A trajetória de Ava, Rodrigo, é cheia de escândalos pessoais, e não foi somente aqui na Cidade Maravilhosa (que hoje, nem tanto). O livro “Ava, minha História”, foi publicado pela Editora LPM, e atualmente não sei se há alguma reedição, mas certamente vc poderá encontrar no MERCADO LIVRE da Internet ou em sebos virtuais, ou mesmo pela cidade. A autobiografia da atriz considero uma profunda “confissão” de vida. Estranhamente, bem sóbria em seus depoimentos, também teve o apoio de uma escritora que a ajudou na elaboração do livro.

      Obviamente, não tem como comparar Meryl Streep com Ava, ou Lana Turner, Rita Hayworth, ou Kim Novak, mesmo porque Streep é outro estilo, não é verdade? Mas bem verdade também que grandes estrelas terminaram piores que Ava ou mesmo Rita, e temos um exemplo bem recente: a notável Whitney Houston. Ao contrário de Ava, que podia ter seus momentos limitados como atriz, Whitney era uma extraordinária cantora.

      Escândalos em sua vida foram ainda mais grotescos quando ela passou a usar drogas, e seu fim foi muito pior, isto é, acho que os escândalos de Ava são coisas de criança se compararmos com os escândalos de Whitney ou de qualquer POP-STAR do mundo moderno.

      Quanto aos nomes, vc me deu uma idéia para um artigo. Outro dia, achei o nome de um advogado brasileiro de nome CHARLTON HESTON, rsrs.

      Forte abraço, Rodrigo

      Paulo Néry

      Excluir
  5. Paulo, quanta gentileza. Muito obrigado.
    O Jurandir já estava falando de Ava no post anterior...
    Gostei dessas histórias, mas já vou deixar uma pergunta: a última foto dela, com o cachorro, alguma ideia da data?
    Pergunta de quem coleciona fotos. Aliás, vou guardar o meu nome na "marquise" deste ótimo blog com muito orgulho.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Ivan! Amigo, tenho esta mesma foto no livro AVA, MINHA HISTÓRIA, EDITORA L&PM, 1991. Consta na foto que foi tirada pouco antes do derrame da atriz. Como a autobiografia foi elaborada durante dois anos, antes de seu falecimento, pode ter sido em 1987 ou 1988, mas precisamos estar certos.

      Verei isto para vc, meu nobre, e te mando um email.

      Forte abraço

      Paulo Néry

      Excluir
  6. Linda, sem dúvida... E, como fã incondicional dos "Olhos Azuis", também já sabia da sua fama de destruidora de corações... Mas, com tantos detalhes, só aqui com você, mesmo! Grande postagem! Abração e apareça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Dil, tudo jóia? agora fique sabendo, rs. Maravilhoso seu artigo sobre James Bond! apareço sempre, e um forte abraço para o Bat-Amigo!

      Paulo Néry

      Excluir
  7. Paulo, ótimo texto sobre esta conturbada passagem de Ava Gardner pelo Brasil.

    Pelo que ela contou no livro já no final da vida, fica claro que a imprensa sensacionalista sempre atuou forte no Brasil.

    Com certeza era ela temperamental, já li que o relacionamento dela com Frank Sinatra era complicado e chegava as vias de fato.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Hugo, e ela no livro não deixa de contar sobre sua vida complicada com Sinatra, Mickey Rooney, Artie Shaw e George C.Scott, que segundo ela, era o mais violento de seus romances.

      Durante as filmagens de A BIBLIA, ela precisou usar muita maquiagem para disfarçar os roxos da face porque Scott a agredia constantemente, e precisou até John Huston e os seguranças intervirem para não acontecer o pior. Ava ta tão maquiada neste filme que é bem evidente em quase o decorrer de todo o filme.

      Abraços

      Paulo Néry

      Excluir
  8. ...engraçado, se esses Rooney,Shaw e Scott foram romances de AVA, que coisa mais esquisita...todos bons atores mas todos muito esquisitões, Rooney um anãozinho espoleta e feinho, Scott um grandalhão feioso...e ela, pelo que dizem, não primava pela arte de representar, mas pela beleza e carisma... isso foi dito por um diretor que a manteve antes de ser reconhecida....O mesmo se deu com Marylin Monroe, casar com aquele escritor esquisitão... acho que são lições que a gente ainda não aprendeu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado anônimo, já ouviu falar de que "gosto não se discute", ou mesmo "os opostos de atraem"? para nossa concepção, é incompreensível ver Ava com estes caras e sabe-se lá se ela tinha gosto para homens feios, rs.

      Mas algo chamou atenção dela de cada um. Não esquecemos de THE VOICE, que era mediano, magrinho, mas quem sabe os OLHOS AZUIS, além da soberba voz, não vieram à cativar a diva?

      Obrigado, prezado!

      Excluir
  9. Muito interessante saber detalhes sobre essa visita de Ava Gardner ao Brasil...

    ResponderExcluir
  10. Paulo, o anônimo acima chamou a atenção para o gosto duvidoso da InsaciAVA Gardner. Como pode ela aos 20 aninhos, quando ainda não se embriagava diariamente, se casar com Mickey Rooney? Como se sabe, ele havia sido tricampeão de bilheteria (1939, 1940, 1941) e foi o quarto em 1942, atrás de Abbott & Costello, Gable e Cooper e o baixinho valia seu peso em ouro. Em outras palavras, a InsaciAVA deu mesmo foi um golpe ao se casar com Rooney. Artie Shaw parece que tinha a maior batuta de Hollywood, o que explica o segundo casamento, além de ser rico também. Por amor mesmo deve ter sido o casamento com o The Voice que quase morreu de tanto beber quando soube que sua amada esposa e Lana Turner gostavam de comparar os atributos físicos dos conhecidos astros de Hollywood, inclusive de Frank que, segundo elas devia ter nascido no Japão.
    Um abraço - Darci Fonseca - CINEWESTERNMANIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma boa análise, Darci. Tudo é imensamente possível quando se trata de Ava. Confesso que nunca parei para pensar que pudesse ser um golpe para ascender, mas fora das telas, é mesmo um contraste a diva estar com parceiros que nada tinham a ver com ela.

      Como disse para o anonimo acima, algo em Sinatra cativou a diva, tornando um sentimento verdadeiro. Se ela amou de verdade algum dia foi Sinatra, mas talvez nem tanto quanto ele a amou. Contudo, foi Ava que ajudou a reerguer The Voice quando ele já estava em declínio e foi até a Colúmbia para convencer os produtores a fazerem um teste com o cantor para o filme A UM PASSO DA ETERNIDADE, cujo o papel de Magio já era quase de Eli Wallach.

      Nos últimos anos de vida de Ava, foi Sinatra que custeou seu tratamento de saúde após o derrame, e isso me parece que só ficou conhecido anos depois da morte do cantor, por conta que Sinatra já estar casado com Barbara Marx desde 1977 (viúva de Grouxo). O ato do "The Voice" para com Ava em seus últimos momentos foi de gratidão por ela ter ajudado a ficar no topo novamente, como também de um profundo amor ainda recolhido no coração do eterno "Olhos azuis". Valeu, Darc!

      Paulo Néry

      Excluir
  11. Que maravilha de post, amigo! Sabia da passagem tumultuada da estrela pelo Brasil, mas não com tatos detalhes. Adorei a foto de Ava com o nosso Lewgoy. E finalmente fiquei conhecendo o Carlos Augusto...
    Parabéns!

    Cumprimentos cinéfilos!

    O Falcão Maltês

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta foto é um registro histórico de duas grandes personalidades do cinema mundial, já que o nosso saudoso Lewgoy atuou também em inúmeras produções internacionais. Filmou com Lex Barker aqui no Brasil FOLIA SANGUINÁRIA,durante o carnaval no Rio de janeiro em 1965.

      Obrigado Nahud e um forte abraço

      Paulo Néry

      Excluir
  12. Paulo, Sinatra sempre foi um dos homens mais odiados de Hollywood, especialmente por suas ligações com a mafia e o que não falta é história, como o revólver na boca de Tommy Dorsey e o a cabeça do puro-sangue na cama (seria o Harry Khon?) para Sinatra interpretar Angelo Maggio. Porém histórias como essa que você lembrou, da ajuda a Ava e como ele era generoso, essas histórias não dão audiência. Eu tenho um amigo que diz que não assiste filmes do Sinatra por ele ser mau caráter. Se for por aí vamos deixar de assistir filmes pois não me consta que Madre Tereza tenha sido atriz...

    ResponderExcluir
  13. Sem dúvida, Darci. Sinatra não era nenhum exemplo de virtude e sabe lá Deus o que ele já tenha feito ao longo de seus 82 anos de vida.

    Hoje, muita coisa se confirma a respeito das atitudes de Sinatra, que até então, poderiam ser boatos ou mesmo lendas. Mas com o tempo, tudo se confirmou, desde a ligação real do cantor com a Máfia, até atos de violência e mesmo ameaças de morte por parte do cantor.

    Quanto a ajuda MÚTUA entre Sinatra e Gardner, certo que elas não dão ibope, mas ao menos é um ponto de curiosidade, já que se tratando da Ava em seus últimos momentos, vale mencionar Sinatra como seu benfeitor perto dos momentos finais da atriz. Ele não pôde comparecer ao enterro dela na Carolina do Norte, mas mandou uma coroa de flores, pelo que me foi informado.

    THE VOICE não era nenhum exemplo de virtude, ninguém é. Se for por aí eu também não veria filmes nem com Charlton Heston (pelo apoio ao armamento, e não importa, sou fã dele), nem Burt Lancaster (pelo seu ego exacerbado), e entre tantos outros artistas que legaram suas marcas. Parafraseando Yul Brynner e SETE HOMENS E UM DESTINO: "não estou no ramo de bençãos."

    Paulo Néry

    ResponderExcluir
  14. Fui uma criança precoce, lia revistas de cinema, desde meus sete aninhos, e me lembro sim, de Ava.Eu confundia três atrizes; Ava, Gina lollobrígida e Liz Taylor. Na minha cabecinha, elas eram todas iguais. Hj vejo que Ava era mesmo uma beleza de estátua, daquelas dos palácios romanos.Acho que a pobrezinha era alcoólatra, e quebrou mesmo o hotel . O pobre crooner se intimidou diante do mito, tadinho. Ela devia ter entendido, não é?
    Outro dia revi A condessa descalça e comentei com minha filha sobre o quanto Ava era deslumbrante e como a história hj ficou datada. Que pena, o enredo envelheceu, nao se sustentou no tempo, mas o filme é lindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neve, acredito que mesmo hoje, A CONDESSA DESCALÇA, embora com um enredo já que ultrapassado, ainda assim chama a atenção por duas coisas: a beleza de Ava e os valores tão pregados naqueles tempos.

      Creio que o filme ainda é atual porque, de certa forma, esta fazendo uma crítica à sociedade e contra aqueles que pregam os bons costumes sem dar o exemplo. Aos olhos de Maria Vargas (Gardner), todos são sujos e agem as escondidas. Se notar bem, a obra de Mankiewicz é uma denúncia à hipocrisia da elite, que pode ser tão suja como aqueles que costumam julgar.

      Ava sem dúvida, era de fato uma beleza idêntica as esculturas romanas . Mas sua “divindade” esta apenas na beleza externa, pois usa humanidade é bem documentada como pôde ver através deste artigo.

      Abraços

      Paulo Néry

      Excluir
    2. Verdade, amigo concordo com vc. Quando disse que a história ficou datada referi-me ao fato deles serem noivos sem nunca terem tido intimidade, ela nao sabia do problema dele. quanto ao fato dele matá-la por ciúmes, isso ainda é muito atual. O coitado do jardineiro é que se danou, não é??
      Hoje , já que ela queria tanto dar um filho pra ele, poderia fazer uma inseminação com material de um banco de esperma, ou quem sabe eles tirariam um filhote da célula da coluna dele??kkkk
      Um beijo!

      Excluir
    3. ah, por favor deixe as postagensdo leitor mais simples, é dificil postar aqui tem muitas palavras chave para digitar , muitas senhas, e a letra é torta, a gente nao lê direito

      Excluir
    4. Ah sem dúvida, Neve, e além do mais, analiso o personagem do marido interpretado por Rossano Brazzi.

      Será que não teria sido também egoísta a ponto de contar sua impotência somente no dia do casamento para Maria, quando já tinham acabado de se casar?

      Mas realmente, Hoje, graças aos avanços da ciência, sem dúvida que as coisas ficam menos complicadas, tanto na vida real quanto na ficção.

      Bjs Neve!

      Paulo Néry

      Excluir
    5. Neve, verei as configurações do blog, pois isto é um meio de defesa de spams, e como vc mesma tem um blog, deve saber disso.

      Também não gosto quando vou ao blog de um amigo ou colega e me deparo com isso, mas é compreensível. Verei que faço. Obrigado amiga.

      Paulo

      Excluir
  15. Que interessante... a versao que eu conhecia é que ela E Frank Sinatra tinham destruído uma suite do Gloria depois de uma bebedeira e que tinham sido "convidados" a se retirar do hotel... isso foi o que minha mae me contou... mas parece que Frank (seu marido na época, nao?) nem estava presente... que confusao! :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo, na ocasião Sinatra, casado com Ava, não veio ao Brasil, o que somente ocorreu em 1980, quando THE VOICE, trazido pelos Irmãos Medina, empresários , o trouxeram para o imortal show no Maracanãzinho. Naturalmente, nesta época, Sinatra estava casado havia apenas 3 anos com Barbara Marx.

      Para vc ver, foi uma confusão inesquecível, principalmente para quem estivesse perto e testemunhou, rs.

      Paulo Néry

      Excluir
  16. Se é de uma coisa que os homens gostam muito, é de andarem se gabando por terem feito isso ou aquilo com a ou b.
    E, ainda que o Guinle, homem que eu abominava por sua imodestia, tivesse conseguido algo da linda morena, o assunto deveria falecer entre eles, ao inves de ficar abrindo aquela boca horrivel para o mundo e se gabando do fato. E se ele também "negou fogo" com a morenona, ele dilataria ou seguiria mantendo sua lingua afiada dizendo que levou todas mulheres para a cama?

    Ele até que pode ter levado algumas. Mas, "TODAS', duvido e muito. Como ele tinha grana e grana sempre tem seu peso...
    Um homem muito pequeno, era o que ele era. Essa é a verdade sem pudores ou receios.

    Ela pode sim ter sido uma mulher temperamental e pode sim, ter aprontado muitas das que lhe imputam. Afinal ela, mesmo sendo o mais belo animal da terra, conforme o sofredor Cocteau ( e eu também, pois não nego sua influencia em mim), a Ava era humana, era gente como todos e, assim, com todos os direitos de errar e acertar como qualquer um.

    Se ela tomava seus porres, isso era um problema exclusivo dela. Era sua vida. E sua vida que somente ela poderia viver por ela e mais ninguém. O resto...que falem, que mintam, que tropecem, que ponham em jornais e revistas e que falem nas rádios.

    Afinal, o que o povo gosta muito é de falar. E se tem despeito ainda de uma pessoa como ela era, melhor ainda para tacarem o cacete na jovem e bela morena.

    Que lástima a inveja e o despeito humano!
    Quando não podem ter um carro que desejam, vão e furam os pneus dos que os têm.
    Doloroso isso, mas somos assim.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é amigão Jurandir, mas como falou o nosso Darci, bom comportamento não dá medalha de Ibope para ninguém. Se hoje a mídia, que corre muito mais avançada do que na época de Ava existiam as manchetes sensacionalistas, hoje então a coisa ainda ficou bem pior,ou podemos mesmo dizer que com os recursos de hoje, ficou ainda mais fácil divulgar os escândalos de uma celebridade.

      Vc frisou bem sobre Guinle. Nunca acreditei nas suas histórias. Não duvido que tenha até levado para suite Ava, Rita, Kim, Ginger, contudo ébrias ou não, acho que elas não teriam tanto mal gosto, digo não somente pelo aspecto físico, mas por devido baixo caráter de um homem que, no fundo deveria ser tedioso e triste, já que se gabava de nunca ter trabalhado na vida.

      Morreu falido e aos 80 anos precisou "trabalhar", escrevendo um livro cheio de "fantasias" (para não empregar a palavra mentiras, certo?) sobre os romances que tivera com as estrelas de Hollywood.

      Paulo Néry

      Excluir
  17. Paulo, acabei de ler tudinho acima sobre a Ava Gardner. Me lembro dos fatos, pois na época eu era adolescente e curtia cinema acho que bem mais do que hoje.
    Mas o que me chamou a atenção nos comentários foi sobre o "suicídio" de Getúlio Vargas .Tenho um depoimento gravado da ex-vedete Virginia Lane, que era amante do Getúlio (e foi, durante mais de 20 anos)que no dia da morte dele, ela estava na cama com Getúlio quando entraram nos aposentos quatro caras encapuçados e mataram Getúlio fazendo parecer suicídio.Como ela era testemunha,a jogaram pela janela totalmente nua,mas ela sobreviveu apenas com escoriações. Só agora,com mais de 90 anos, ela resolveu contar o fato, pois tinha medo de morrer também.
    Se isso for verdade,é uma notícia realmente bombástica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Brayner, mas aí fugiríamos do tema do artigo, entretanto não deixa realmente de ser uma notícia bombástica.

      Particularmente, não creio que tenha sido "assassinato", e como o Guinle, pode mesmo até reforçar uma elaborada "Fantasia" por parte da vedete, que a todo custo quer tentar se repromover para não ser esquecida. Assim penso eu.

      Um abraço.

      Paulo Néry

      Excluir
  18. Nery;

    Tomo ciencia pela primeira vez deste tópico da vida (morte) do nosso presidente.

    A Lane, que era vedete na época e era mesmo amante do presidente, fato conhecido por todos, inclusive através de sua própria boca, dita num programa de Jô Soares, não pode seguir mantendo um momento como este num absurdo anonimato.

    Mas aí eu pergunto; naquele dia, no programa do Jô, ela falou tanto, e falou muito, porque ele é faladora emerica e, no entanto, jamais deu uma pista deste assunto. Jô, que é um sabe tudo de tudo, nunca tocou com ela sobre tal tema no seu programa.

    E veja-se que o que ela sabe, segundo o Brayner, é de interesse Nacional e de suma importancia para a Historia de Nossa Patria.

    Por um lado me indico ficar na moita. Por outro, se ela sabe tanto e, se passou por tudo o que passou (pois segundo ela sua vida esteve nas mãos dos 4 encapuzados), porque isto segue em silencio? O que ela deve temer ainda, já que está uma anciã e seria muitos pontos para ele revelar uma situação extrema desta?

    Caberia hoje, aproveitando, acho, que a ex-vedete Lane, ainda esteja em vida, tentar buscar com ela a verdadeira versão destes fatos para que este país, que já é quase que sem memória alguma, não passe o resto de nossas vidas vendo-o como está.
    Precisa-se passar esta historia a limpo a todo custo, pois ela poderá ser uma reversão perigosa, mas de enorme importancia na nossa Historia.

    Se o Getulio não se suicidou e se a ex-vedete o viu sendo assassinado, onde anda uma verdade desta, que somente através de um comentário num blog na Internet tomamos ciencia?

    Precisamos da verdade. E da verdade dita da boca de quem teve sua vida por um fio e que ainda esconde um fato como este (se é que tudo o que li é uma verdade).

    Que o Nery me perdoe, mas a Historia está à frente de qualquer outro sentimento ou informação irreal. A Historia prevalece soberba sobre qualquer outro assunto ou informação que a negue.

    Peço permissão expressas ao Brayner para me permitir lutar em trazer este tema a uma baila menos escura, assim como ter de citar de onde partiu a fonte inspiradora. Mas fato ou circunstancia alguma pode ocultar a verdade da Historia de um Pais, do nosso Pais.

    Está aí, quase que transcrito pontualmente, meu ponto de vista a respeito desta situação absurda e inegavelmente negra na nossa Historia, amigo Nery.

    E sinto que não vou parar por aqui. Isto porque sou um homem que adora Historia do Brasil (Geral Também) e uma coisa como esta não deixaria passar em branco jamais. Jamais.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Jurandir pelo seu coerente comentário. Repetindo um parágrafo de sua observação:

      "Por um lado me indico ficar na moita. Por outro, se ela sabe tanto e, se passou por tudo o que passou (pois segundo ela sua vida esteve nas mãos dos 4 encapuzados), porque isto segue em silencio? O que ela deve temer ainda, já que está uma anciã e seria muitos pontos para ele revelar uma situação extrema desta?" - Jurandir Lima.

      Boa, amigo. Na certa, se os mandantes deste crime ou mesmo os "atiradores encapuzados" cometeram o ato, possivelmente nem mais estão vivos, e se estão já atravessando até a "4ª idade" (sim, foi isso meso que escrevi, rs) para fazer alguma coisa contra ela.

      Tem outra coisa: Pelo que sei, a Senhora Lane nunca foi uma mulher séria, e tem uma reputação bastante duvidosa. Hoje, pouco se fala ou comenta dela, e muitos a desconhecem, o que corrobora com este país ser obscuro e sem memória, mesmo com celebridades ainda vivas.

      Mas é amigo. Vamos voltar a falar de cinema que é bem melhor, rsrsrs.

      Abraços
      Paulo

      Excluir
  19. Nery;

    So espero que o Brayner veja minha matéria e me dê a permissão solicitada. Não vou por seu nome numa situação onde ele não autorize.

    Outro ponto é que, de fato, a Virginia Lane me parece mesmo ser uma pessoa de reputação com máculas e, portanto, não merecedora de muitos créditos.

    No tal programa do Jô que vi ela já está bem velha e ainda se gabando de ter pastado nos campos verdes do nosso "martir" presidente.

    Ou ela é uma Guinle 2 ou possa mesmo ser que aí neste angu tenha mesmo muita carne escondida. E, para por isto em pratos mais limpos, somente um atestado dela se o fato ocorreu mesmo conforme tomamos ciencia.

    O que não invalida tentar se encontrar uma forma de passar isto a limpo, já que se trata de um ponto fundamental de nossa Historia. E sua afirmativa do fato, ou não, poderia dar uma síntese final nesta abominável noticia.

    Mas, vamos seguir falando de cinema que á muito mais salutar.
    jurandir_lima@bol.com.br

    PS; o amigo Nery já solicitou ao caro Ivan Peixoto por sua opinião neste assunto?
    Ponha-o na linha e vamos ver sua palavra sobre o tema. Afinal o homem é inteligente e sabe de muita coisa. Quem sabe náo virá de lá uma determinação final para isso tudo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma idéia, Vamos ver se ele aceita.

      Obrigado Ju!

      Paulo

      Excluir
    2. Ava devorava homens.
      Lane tenta devorar um cadáver.
      Quem escreveu a famosa carta de Getúlio? Quem sabe o texto original era uma declaração amorosa para a vedete: "Saio da vida monótona para entrar na gandaia."
      Surgem quatro mascarados.
      Um atira no Presidente. O segundo atira a moça pela janela. O terceiro transforma o poema em carta-testamento. O quarto morreu quatro dias depois, de tanto rir...

      Excluir
    3. Ao menos Ava tinha seus escrúpulos, mas Virginia Lane...tenha dó né! Nem quando jovem ela chegava aos pés de Ava.

      Paulo

      Excluir
  20. Paulo, que Post maravilhoso, aonde conseguiu tantas informações ricas desse jeito? Eu não sabia desse fato e foi muito bom conhecer, seu texto é perfeito, viajei mais uma vez ao passado visitando seu perfeito Blog.

    Mais uma vez muito obrigado por mais essa homenagem, adorei o vídeo,

    Abração...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os agradecimentos são meus, nobre.

      Forte abraço

      Paulo

      Excluir
  21. Quem ainda tiver alguma dúvida sobre o talento de Ava, que corra e assista A Noite do Iguana com o não menos extraordinário, Richard Burton. Quanto aos seus "defeitos", quem há de atirar a primeira pedra? Não sei onde li, mas a seu favor, diziam que era uma pessoa tão simples que detestava usar batom, retirando-o assim que terminava as filmagens...coisas de Ava! Bela postagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanuza, particularmente eu não tenho nenhuma dúvida do talento desta DIVA. Existem diversas histórias sobre Ava, mas ao lermos a sua auto-biografia (como já li, conforme referência na matéria), nos deparamos com uma mulher inteligente, esforçada e determinada. Ela escolheu mal os homens com quem casou e certamente o mais próximo de ser uma alma gêmea para a estrela foi mesmo Frank Sinatra, que a ajudou (mesmo casado com Barbara Marx, viúva do Grouxo) nos seus últimos anos de vida, quando Ava já enfrentava dificuldades financeiras e já estava doente.

      Ava era tudo de bom e maravilhoso, e se realmente tivesse destruído o hotel, não deixaria de admira-la menos.

      Obrigado Vanuza!

      O Editor

      Excluir
    2. Não sabia do livro autobiográfico de Ava, vou avisar à turma daqui de casa, rsrs. Valeu, Paulo!!!

      Excluir
  22. Tive a honra de assistir no Cine São Luiz, em Fortaleza, o filme A Condessa Descalça,vale salientar que o maior distribuidor de filmes naquela época 1960, era Luiz Severiano Ribeiro, cearense e o Cine São Luiz, era uma obra majestosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certíssimo Caro Luiz! Obrigado por salientar esta informação.

      Excluir

NOTAS DE OBSERVAÇÃO PARA PUBLICAÇÃO DE COMENTÁRIOS.

1)Os Comentários postados serão analisados para sua devida publicação. Não é permitido ofensas ou palavras de baixo teor. É Importante que o comentarista se identifique para fins de interação entre o leitor e o editor. Comentários postados por "Anônimos" sem uma identificação ou mesmo um pseudônimo não serão publicados e serão tratados como spam

2)Anúncios e propagandas não são tolerados neste setor de comentários, pois o mesmo é reservado apenas para falar e discutir as matérias publicadas no espaço. Caso queira fazer uma divulgação, mande um email para filmesantigosclub@hotmail.com. Grato.

O EDITOR


“Posso não Concordar com o que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dize-la”

VOLTAIRE

Outras Matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...