segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Minha Lista: Os Dez Melhores Filmes Infantis

Amanhã, dia 12, celebraremos o dia das crianças. Sou daqueles que pensam que cada um carrega uma criança dentro de si. Pensando nisso, fiz uma seleção pessoal de uma lista de dez filmes de temática infantil que considero os melhores que já assisti ao longo da minha vida. Não sei sua preferência ou se ela pode coincidir com a minha, mas na minha modesta opinião são filmes que poderíamos rever sempre, e não somente nesta época de celebração em homenagem as crianças, mas em qualquer época do ano.
Assim, aqui apresento os melhores filmes infantis de todos os tempos, de acordo com minha preferência:

1-O MÁGICO DE OZ (The Wizard of Oz- 1939)
Musical da Metro produzido em 1939, e estrelado por Judy Garland (1922-1969), baseado no livro (publicado em 1900) de L. Frank Baum (1856-1919), cujo os direitos autorais da obra a Metro Goldwyn Mayer havia comprado no ano anterior a produção deste filme. O Mágico de Oz narra a história da garotinha Dorothy (Garland) que sonha em conhecer um mundo além do arco-íris, onde fadas e bruxas convivessem como num livro. No meio de um tornado seu sonho se torna realidade, sua casa é levada para a Terra de Oz, mas a única coisa que a amedrontada Dorothy quer agora é voltar para casa e segue o caminho das pedras amarelas em busca do mágico que possa ajudá-la a regressar. No caminho encontra um espantalho que quer um cerébro, um homem de lata que quer um coração e um Leão covarde que almeja ser corajoso, todos descobrem que não precisam de nada daquilo, pois as virtudes que têm é muito mais do que imaginavam.
A produção, muito tumultuada, teve 5 diretores, sendo por fim creditado a Victor Fleming (1889-1949). Mesmo não sendo o primeiro filme produzido em Technicolor (como muitos acreditam), O Mágico de Oz faz um uso notável da técnica; as seqüências no Kansas possuem um preto-e-branco com tons em marrom, enquanto as cenas em Oz recebem as cores doTechnicolor. Ainda no elenco: Frank Morgan, Ray Bolger, Bert Lahr, Jack Haley, Bilie Burke, e Margaret Hamilton.

2-O PEQUENO POLEGAR (Tom Thumb- 1958)


Uma comédia musical produzida em 1958, e adaptada do clássico conto dos irmãos Grimm, onde certo dia um lenhador, o honesto Jonathan (Bernad Miles,1907-1991) poupa uma árvore especial a pedido da "Rainha da Floresta" ( a bela e prematuramente falecida June Thorburn, morta em um acidente aéreo em 1967 aos 36 anos de idade), que em sinal de agradecimento concede-lhe uma preciosa dádiva, um filho, uma vez que o casal de lenhadores há muito ansiavam ter mas sem resultado. Esse filho, porém, era tão pequenino tão pequenino que tinha o tamanho de um polegar! O “Pequeno Polegar” é desempenhado pelo dançarino da Metro Russ Tamblyn. No elenco ainda, Terry-Thomas (1911-1990) e um jovem e gorducho Peter Sellers (1925-1980), estes dois como os vilões engraçados da história, e deponta também Alan Young (da série de TV “Mister Ed”), que é o interesse amoroso da “Rainha da Floresta”. Vencedor do oscar de efeitos especiais. 3-O PÁSSARO AZUL (The Blue Bird- 1940) O Pássaro Azul, dirigido por Walter Lang (1896-1972), é um clássico em Technicolor para crianças, mas que também emociona os adultos. O típico filme da Sessão da Tarde que costuma reunir a família toda em frente à Tv. O filme narra a história da família Tyl, cujo patriarca (Russell Hicks, 1895-1957) é convocado para combater Napoleão e precisa deixar os filhos em casa sozinhos. A garota Mytyl (Shirley Temple) e seu irmão Tytyl (Johnny Russel) passam a viver algumas aventuras depois que o melhor amigo de Mytyl adoece e a menina empenha-se em capturar o conhecido "pássaro azul da felicidade" para presentear o garoto. Após receber a visita da fada Berylune (Jessie Ralph, 1864-1944), os meninos são enviados, juntamente com o seu gato Tyllete e cachorro Tylo, transformados em humanos, em busca do “pássaro azul” através do passado, do presente e do futuro.

Durante a viagem por muitos reinos com fadas, magias e personagens enigmáticos, as crianças passam pelas mais inusitadas situações, e vão sofrendo transformações — relacionadas às mudanças da infância para a juventude — e transformam os lugares por onde passam, como a emocionante cena em que Mytyl se despede dos avós, já mortos, e que voltam a dormir num banquinho porque só acordavam quando alguém lembrasse deles. A menina ainda consegue ver o irmão caçula que está para nascer em outros dos mundos. Quando voltam para casa, encontram um lugar muito diferente do início da aventura. Ainda no elenco, Nigel Bruce (1895-1953) e a ganhadora do Oscar Gale Sodergaard (1899-1985).
  4- AS SETE CARAS DO DR.LAO (Seven Faces of Dr. Lao- 1963)

Doutor Lao (Tony Randall, 1920-2004) é um velho chinês de 7.322 anos que chega a velha e empoeirada Arizona com o seu circo místico, causando um enorme alvoroço em toda a pequena população da cidade além de uma certa xenofobia. Todos ficam ansiosos por ver as maravilhas que o Dr. Lao promete trazer, sem imaginarem que as atrações anunciadas fazem parte da mente de cada uma das pessoas do Arizona, são criaturas formadas a partir dos problemas e sentimentos que os moradores da pequena cidade levam consigo.

O circo chinês oferece uma caravana de atrações mitológicas e semi-mitológicas. O que ninguém sabe é que o Doutor Lao além de dono do circo também atua como todas as atrações dele (Randall interpreta todos eles), mostrando seu talento em seus estranhos números, transformando-se em seis diferentes figuras míticas: o Pan, protetor dos animais e dos bosques; a Medusa, com sua cabeça cheia de serpentes e que só pode ser vista através de um espelho; o mágico Merlin, já um pouco enferrujado mas sempre usando sua mágica para o bem; o Abominável Homem das Neves; uma Serpente Gigante que visa refletir as imperfeições das pessoas e o adivinho Apolônio de Tiania. Dr. Lao acaba usando seus personagens para mudar a vida das pessoas, fazendo com que vejam a verdade e com que enxerguem melhor seus problemas. O Pã e sua flauta mágica hipnotizam Angela Benedict (Barbara Eden, da série de TV Jeannie é um gênio) fazendo com que ela descubra o valor do amor e desperte seus desejos escondidos; a Medusa testa a incredulidade da Senhora Kate Lindquist (Minerva Urecal, 1894-1966) que insiste em não olhá-la pelo espelho e acaba se transformando em pedra; com a Serpente, Doutor Lao toca em verdades salgadas demais para o vilão Clint Stark (Arthur O’ Connel, 1908-1981) que se acha perfeito mas descobre que não é bem assim; o Adivinho toca na parte mais triste da solteirona fútil Howard Cassin (Lee Patrick, 1902-1981) As Sete Faces do Doutor Lao é recheado de citações memoráveis como: "O mundo todo é um circo. Quando olhamos para um punhado de areia e vemos mais do que areia, vemos um mistério, o circo do Dr. Lao estará lá." A preocupação da historia é mostrar que o ser humano às vezes pode ter suas percepções meio distorcidas, pode estar preparados para acreditar em criaturas bizarras, mas não são capazes de ver o valor de uma comunidade, dos seus costumes e cultura, que moeda nenhuma poderá pagar. Um tipo de filme que bem que mereceria um Remake nos nossos dias. Ainda no elenco: John Doucette (1921-1994), Royal Dano (1922-1994), Noah Berry Jr (1913-1994), John Ericson é o jornalista galã interesse amoroso da personagem de Barbara Eden, e Argentina Brunetti (1907-2005).

5-MEU MELHOR COMPANHEIRO (Old Yeller- 1957)

Nenhum filme melhor que este mostra tanta emoção, esperança, coragem e amizade. Um conto clássico Disney que fala do amor de um garoto pelo seu cão. Meu Melhor Companheiro cativou o coração de milhões de pessoas e continua cativando até hoje, pois ainda é o melhor!
Estas são as palavras do renomado crítico de cinema americano Leonard Maltin. A história se passa por volta de 1860, no Texas. Travis (Tommy Kirk) é um garoto não quer nada com o cão que encontrou, mas Old Yeller prova que é um ótimo amigo, protegendo a sua família e salvando sua vida. Eles se tornam inseparáveis, dividindo momentos de alegria, experiências e lições de vida. O Elenco é composto de grandes conhecidos para os cinéfilos, para começar o eterno Daniel Boone da TV, Fess Parker (1924-2010) no papel do pai de Travis, a excelente Dorothy McGuire (1916-2001), no papel da mãe, e ainda Chuck Connors (1922-1991), que fez “O Homem do Rifle” na TV, e Jeff York (1912-1995). O Filme estreou no Brasil em 6 de janeiro de 1958.


6-AS AVENTURAS DE HUCKLEBERRY FINN (The Adventures of Huckleberry Finn- 1960)
As aventuras de um menino travesso que foge de sua casa e viaja pelo rio Mississippi na companhia de um escravo fugitivo. O jovem aventureiro Huckleberry Finn (Eddie Hodges), fugindo na sua jangada, pelo Rio Mississippi, juntamente com o seu companheiro Jim (o pugilista Archie Moore, falecido em 1998, que foi Campeão Mundial dos Pesos Pesados, entre 1952-1960) um escravo em fuga para não ser vendido, vão viver extraordinárias e arrepiantes aventuras, nesta sensacional viagem que nos levará a todos ao mundo da liberdade e da amizade sem limites. Esta versão (existem outras, inclusive uma com Mickey Rooney da década de 30) foi produzida pela Metro para comemorar os 75 anos do lançamento do clássico de Mark Twain (1835-1910) e foi um dos últimos filmes sob a direção do lendário Michael Curtiz (1886-1962), de Casablanca e As Aventuras de Robin Hood, que tem um grande elenco composto por Tony Randall, Neville Brand (1920-1992), Pat McComarck, Andy Devine (1905-1977), Sherry Jackson, John Carradine (1906-1988), Royal Dano, e em especial participação, Buster Keaton (1895-1966).

7-ET- O EXTRATERRESTRE (E. T- The Extra Terrestrial- 1982)
É considerado um dos maiores sucessos de bilheteria da história do cinema, sendo o primeiro filme a ultrapassar a marca 700 milhões de dólares. Um alienígena perdido na Terra faz amizade com um garoto de dez anos (Henry Thomas), que o protege de todas as formas para evitar que ele seja capturado e transformado em cobaia pelo serviço secreto americano. O menino ajuda o ET a regressar ao seu planeta. Um filme que até hoje emociona crianças e adultos e vem atravessando gerações. No elenco: Peter Coyote, C. Thomas Howell, Debra Winger, e Drew Barrymore, então com 7 anos, vindo de uma dinastia de atores consagrados do teatro e da TV, os Barrymore (sobrinha neta do consagrado Lionel Barrymore (1878-1954) e neta do grande astro do cinema antigo (que depois decaiu) John Barrymore (1882-1942), este um grande amigo de peito e de copo de Errol Flynn). 8-A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE (Willy Wonka & the Chocolate Factory- 1971)
Baseado no livro "Charlie e a Fábrica de Chocolate", com adaptação para o cinema do próprio autor Roald Dahl (1916-1990), A Fantástica Fábrica de Chocolate é um conto de fadas para crianças e adultos, recheado de piadas, referências e citações. Quando foi lançado originalmente nos cinemas americanos, a responsável pela sua distribuição foi a Paramount Pictures, porém, todas as exibições posteriores, seja ela na TV, em vídeo ou nos próprios cinemas, foram realizadas pela Warner Bros.
A história tem início quando Willy Wonka (Gene Wilder), recluso por anos em sua fábrica de chocolate, anuncia que cinco sortudos terão a chance de fazer um tour pelo local e ver de perto os segredos de seus doces maravilhosos. Melhor do que isso: um dos visitantes ganhará suprimentos do chocolate Wonka para toda a vida. Para selecionar os candidatos, cinco bilhetes foram aleatoriamente colocados dentro das embalagens dos chocolates, transformando Wonka numa verdadeira febre mundial. Os chocólatras começaram a procurar desesperadamente os sonhados bilhetes.

Ninguém gostaria desse prêmio mais do que o jovem Charlie Bucket (Peter Ostrum, em sua única aparição nos cinemas; depois, se tornaria um veterinário), um entregador de jornais que mora com a mãe e os quatro avós num único cômodo. Sua família é tão pobre que até mesmo comprar uma barra é um sacrifício, quanto mais comprar barras suficientes para encontrar um dos cinco cartões dourados que dão direito à visita.

A fábrica parece um sonho em cores psicodélicas: um rio de chocolate com cachoeira, árvores, flores, cogumelos... enfim, tudo comestível. Os ajudantes de Wonka são anões de rosto laranja e cabelo verde chamados de Oompa Loompas. A grande decepção das crianças é que Willy Wonka, ao invés de ser um homem benevolente, é uma espécie de pan moderno: imprevisível, encrenqueiro, uma figura manipuladora. As crianças, ao mesmo tempo em que mergulham de cabeça nos seus desejos, pagam um preço por isso, deixando a fábrica com aparência do Jardim do Éden: encantador, mas território da serpente. É, na verdade, uma espécie de provação onde a criança só sai vitoriosa se não violar nenhuma das regras impostas por Wonka. Claro que nosso pequeno Charlie sairá vencedor, enquanto as outras crianças amargarão um triste destino sendo "expulsas" da fábrica humilhantemente, enquanto os Oompa Loompas limpam a sujeira.
O filme soa como uma lição de moral com sua mensagem que prega os bons comportamentos. "Se você fizer direitinho a lição, ganha um chocolate". Mas o filme emociona, faz rir e possui um raro senso de limites para seu humor negro. Situações fortes são tratadas com uma leveza incomum. Como bom exemplo disso, temos a cena do resgate, onde uma mulher tem seu marido seqüestrado e deve pagar como resgate sua caixa recém adquirida dos famosos chocolates. Quando confrontada sobre a escolha entre o marido e os chocolates pede tempo para pensar. No elenco, ainda, Peter Ostrum, Roy Kinnear. 9-ESQUECERAM DE MIM 1 (Home Alone- 1990) Foi o filme que revelou Macaulay Culkin. O menino-prodígio que ficou estigmatizado para sempre no papel de Kevin, um garoto de oito anos, esquecido em casa pela família às vésperas de uma viagem para Paris na época do Natal. Kevin passa a administrar a casa do seu jeito. Então, entra em cena uma dupla de meliantes, Harry (Joe Pesci) e Marv (Daniel Stern), que planeja roubar a mansão. Porém, os bandidos não contavam com a esperteza do garoto, que os obriga a cair em várias armadilhas. Ainda no elenco: John Heard, Catharine O’ Hara, e com a participação de John Candy (1950-1994).
10-O JARDIM SECRETO (The Secret Garden- 1993)
No início do século XX, Mary Lennox (Kate Maberly) vivia na Índia com seus pais, que não lhe davam muita atenção. Porém um estouro de elefantes os mata e, seis meses depois, Mary desembarca em Liverpool, na Inglaterra, para viver com Lorde Archibald Craven (John Lynch), seu tio, na mansão Misselthwaite, uma construção feita de pedra, madeira e metal na qual existem segredos e antigas feridas.
Mary estava assustada naquele solar com várias dezenas de quartos e era incrivelmente mimada, pois lhe desagradava a idéia de vestir suas roupas, já que na Índia isto era tarefa de suas aias. A mansão é administrada pela Sra. Medlock (Maggie Smith), uma rigorosa e fria governanta. Lorde Craven perdeu a mulher há dez anos e nunca mais conseguiu superar a tragédia. Para piorar Colin Craven (Heydon Prowse), seu filho, também sobre de extrema apatia, sempre recolhido no seu quarto. Mais uma vez negligenciada, Mary passa a explorar a propriedade e descobre um jardim abandonado. Entusiasmada com a descoberta, Mary decide restaurar o lugar com a ajuda do filho de um dos serviçais da casa, conquistando assim a atenção do primo doente. Juntos eles desafiam as regras da casa e o velho jardim se transforma em um lugar mágico, cheio de flores, surpresas e alegria. O jardim secreto é um lugar fantástico onde não existe tristeza e arrependimento, um lugar onde a força da amizade pode trazer de volta a beleza da vida. Enfim, outro de muitos filmes infantis que leva o espectador a reflexão, pois quem sabe não tenhamos nosso próprio “Jardim Secreto”?
Está aberto uma enquete semanal sobre o tema deste artigo. Caso nenhum destes seja um dos seus preferidos, o espaço de comentários esta a disposição para leitores e seguidores exercerem sua expressão e dar sua indicação. Afinal, já dei a minha, rs. Feliz dia das crianças!!! Saúde e Paz. 

PRODUÇÃO E PESQUISA PAULO TELLES

REFERÊNCIAS: SITE INFANT TV WIKIPEDIA ENCICLOPÉDIA SITE ADORO CINEMA GUIA DE VÍDEO ABRIL CULTURAL (livro)- ANO 1990 E 1995

Outras Matérias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...